Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A lupa de alguém

Sou operadora de caixa num supermercado Continente modelo. É esse universo que eu trato neste espaço...

A lupa de alguém

Sou operadora de caixa num supermercado Continente modelo. É esse universo que eu trato neste espaço...

Testemunho de um "cliente mistério"

Recentemente recebi um comentário a um post que fiz aqui no blog, há uns anos atrás sobre o cliente mistério.

Achei o comentário muito interessante , porque, foi feito, justamente por um cliente mistério. Partilho, então, convosco o dito comentário e aproveito para agradecer ao dito cliente, o seu testemunho.

«Olá! Encontrei este blog ao pesquisar por umas notícias da Sonae e deparei-me com este post acerca do "Cliente Mistério". Eu faço este tipo de trabalho há já vários anos. Já fiz de tudo um pouco, mas um dos maiores clientes que tinha há uns anos atrás era exactamente a Sonae.


O cliente mistério NUNCA se pode identificar, deve sempre agir como um cliente normalíssimo e não despertar desconfiança. Sempre que há uma visita de cliente mistério existe um cenário/guião que é necessário ter em conta portanto, estes quando visitam as lojas é normalmente quando há alguma campanha nova ou após alguma acção de formação dos funcionários (mais habitual). São-nos solicitadas atitudes em determinadas circunstâncias. A que melhor que recordo numa loja Worten foi ter que comprar um cd de 0,49€ e ao chegar à caixa, reclamar pois o preço que encontrava no expositor era de 0,48€. Isto para verificar qual a atitude da funcionária da caixa. A agravar tudo isto, esta visita tinha que ser feita no dia 24 de Dezembro.
Até eu me senti mal com a situação pois a funcionária estava sozinha com uma fila enorme de clientes para atender e alguém a reclamar por 0,01€. Imagino os nomes que me deve ter chamado baixinho após ter confirmado (indo ao local buscar a etiqueta) de o erro era meu.

Bom, mas nem sempre eles querem saber quem foi o funcionário, muitas vezes pretendem apenas saber se a informação é dada corretamente. Somos incentivados a identificar caso haja situações demasiado "graves" ou quando o funcionário merece reconhecimento. Já o fiz nas duas situações. A uma funcionária incansável e muito simpática que se deu ao trabalho de explicar tudo ao pormenor durante imenso tempo para no final não vender nada e um outro funcionário que me desprezou pois, propositadamente levei uma das piores roupas e pus o meu pior aspecto possível. Este estava mais interessado em conversar com o colega do que em trabalhar.

Bom, boa sorte ;) »

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.