Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A lupa de alguém

Sou operadora de caixa num supermercado Continente modelo. É esse universo que eu trato neste espaço...

A lupa de alguém

Sou operadora de caixa num supermercado Continente modelo. É esse universo que eu trato neste espaço...

"Internet das coisas"

 

Num site brasileiro, encontrei algo interessante sobre as novas tecnologias, achei interessante deixar um resumo sobre o assunto, uma vez que está relacionado com o meu trabalho e até (talvez) com a extinção do mesmo
“Imagine que vai ao supermercado, coloca as compras no seu carrinho e, à saída, basta passar com ele por um sensor para que lhe digam quanto terá de pagar.
 
Dentro de poucos anos é muito provável que este cenário se torne familiar para cada um de nós. Os objectos passarão a comunicar entre si e com os seres humanos, criando uma "Internet das coisas". Isso será possível em consequência da união de três tecnologias, que já existem actualmente mas ainda são empregadas separadamente: identificação por rádio frequência (RFID), sensores e nanotecnologia (que permite a construção de objectos muito pequenos).
 
O RFID permite determinar a localização de um determinado objecto e seguir o seu percurso. Os sensores dão informações sobre a sua localização e os elementos que agem sobre o objecto naquele momento. E a nanotecnologia permite instalar esse tipo de tecnologia nos objectos de menores dimensões.
No nosso quotidiano, já temos vários exemplos do uso do RFID, como os chips nos ténis dos corredores de maratonas, os "brincos" utilizados em animais, a Via Verde que nos permite fazer viagens em auto-estrada sem parar nas portagens, etc. Todos estes são exemplos da utilização da RFID.
 
Na Alemanha, mais precisamente na localidade de Rheinberg, a rede de supermercados Metro AG está a testar o que já é considerado como o supermercado do futuro. Os clientes do supermercado colocam as suas compras num carrinho equipado com um assistente de compras pessoal. Diversos artigos trazem etiquetas “inteligentes” (tags) na embalagem. Cada etiqueta dispõe de uma antena e um chip com uma sequência de números que é transmitida para o computador via radiofrequência. Estes chips podem identificar qualquer tipo de mercadoria o que vai permitir o controlo de todos os itens, desde a hora em que eles saem de seu lugar ou país de origem até a colocação nos carrinhos dos clientes.
 
À medida que os produtos são colocados no carrinho, as tags emitem sinais de rádio que permitem saber qual o código do produto ao qual o sistema informático do estabelecimento associa o preço. O valor da mercadoria vai sendo acrescentado e exibido na tela do assistente de compras, permitindo ao cliente controlar as despesas e, ao chegar à caixa, gastar apenas o tempo necessário para efectuar o pagamento."
                                                                                                           perpetuo ovimento
 
 
[Error: unknown template 'video']