Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A lupa de alguém

Sou operadora de caixa num supermercado Continente modelo. É esse universo que eu trato neste espaço...

A lupa de alguém

Sou operadora de caixa num supermercado Continente modelo. É esse universo que eu trato neste espaço...

As notas de cinco euros

cinoaeirus.jpg

Talvez porque são raros os terminais de multibanco que dão notas de €5, haja sempre falta delas. Quem tem lojas, ou algum negocio, sabe do que falo.

 

Eu sei que nós (loja) é que temos de ter as ditas notas, mas olhem que há dias que até me custa, estar sempre a pedi-las ao balcão de informação. E por vezes, os clientes até as têm, mas não as dão, dizem que precisam delas...ou seja, andamos todos ao mesmo! Por vezes até para pagarem um pacote de pastilhas entregam uma nota de €20 e  dizem que é para trocar e ficarem com notas de cinco.

 

Se ao menos os senhores que vão colocar as notas no multibanco, colocassem lá algumas...mas parece que só metem notas de €10 e de €20!

 

Uma cliente chegou a dizer-me  que sabia de uma aldeia em que o multibanco dava notas de cinco euros, e que as pessoas faziam lá fila, para as apanharem!

 

Enfim...

O lado positivo das obras

obrasAKI.jpg

Estão a fazer obras no continente onde trabalho. Já assisti a algumas, mas estas são de maior dimensão.

 

É claro que mesmo tentando e fazendo os possíveis para que os clientes não fiquem afetados, nem sempre é fácil, há sempre um pouco mais de barulho. Mas até já houve,  quem elogiasse a forma como tudo se está a processar.

 

Ontem uma senhora perguntava-me, em jeito de brincadeira,  a que horas iam os senhores das obras almoçar, isto porque ela calhou ir num momento em que estavam a fazer algum barulho!

 

Hoje uma senhora contou-me como estava a agradada por irmos mudar,  inovar, dizendo que já merecíamos a novidade!

 

E é isso que todos esperamos, novidade, mudança, mesmo que agora custe um bocadinho, vai saber bem o "refresh"!

A pressa, mais uma vez, a pressa!

Um dia destes, estava eu a atender os clientes que tinha na minha fila, e um senhor que estava na fila atrás da minha caixa, começa a chamar-me:

 

Cliente: Olhe, olhe,  está aqui uma coisa com o preço errado - diz, apontando para um artigo da peixaria!

 

Eu: Então, mas o Sr não está na minha caixa, tem de falar é com a minha colega!

 

Cliente: Mas ela está a atender outra pessoa,  e depois vai demorar...

 

Eu: Então, tem de esperar um bocadinho...

 

Achei o cúmulo da pressa e da falta de bom senso. Então, eu agora tenho de dar conta de duas filas. O homem estava tonto, ou quê!?

 

Paciência infinita para esta gente!

 

19560243_zdW0S[1].jpg

Ele já lá está, mas precisa que de "ordem" para ficar na factura

Quando o cliente faz a associação do número de contribuinte ao cartão de cliente, não quer dizer que ele vá diretamente para a factura, ele só vai se o cliente quiser, por isso, nós perguntamos!

 

Num destes dias um cliente, à pergunta quer número contribuinte na factura, respondeu:  "agora, já não é preciso"! Julguei que era por já ter atingido o limite de facturas ou algo do género, mas não, "já não era preciso, porque já lá estava"!

 

Queria esclarecer que o número, por estar associado, não vai ter automaticamente à factura, apenas vai se o cliente quiser, porque o cliente não tem de por o NIF em todas as facturas. Acho que acontece o mesmo em outros estabelecimentos, tais como farmácias, lojas de roupa, etc.

quemsabesabe.jpg

A respostas mais corretas, seriam:

simquero.jpg

Quando o progresso pode retirar empregos

Bem o assunto que hoje trago  chama-se progresso. Ainda bem que muitas coisas evoluíram no supermercado. Imaginem o que seria de nós operadoras, se ainda tivéssemos de fazer contas a lápis ou com aquelas máquinas registadoras de antigamente? Ainda bem que já não é assim.

amazob[1].jpg

No entanto o dito progresso está ir depressa demais, está a substituir as pessoas por máquinas e até a retirar postos de trabalho. De certo que já ouviram falar no Amazon go!? Pois bem, o Amazon go supermercados, abriu este ano, a sua primeira loja em Seattle.

 

No Amazon go, o cliente entra, retira das prateleiras os  artigos  que precisa para dentro do seu saco e sai, sem ter de ficar em filas para efetuar o pagamento. Ainda assim, paga, mesmo que não haja caixa para o fazer. Os requisitos essenciais para comprar nesta loja são ter conta na Amazon e descarregar uma aplicação, que está disponível para os sistemas Android e IOS.

 

O supermercado tem câmaras e sensores que supervisionam os clientes e que automaticamente lhes  cobram o  que tiraram da loja, retirando o valor da conta bancária associada. E quando o cliente devolve  um produto à prateleira, a loja  está equipada com sensores que o detetam .

 

Parece tudo muito perfeito, não tem  caixas de pagamento, nem operadoras de caixa, mas  tem alguns funcionários: uns numa cozinha, escondida dos clientes, que preparam refeições rápidas e sandes, um outro na área de bebidas alcoólicas, para verificar a idade dos clientes, e ainda outro, à porta, para dar as boas-vindas. Por fim, são também pessoas que repõem os produtos nas prateleiras.

 

Mas será que os clientes gostaram da ideia, será que não faz falta o contacto com as pessoas!? Será que por cá teriam adeptos!?

 

Vídeo Amazon Go.

Nem sempre há motivo para reclamar

Acho que por vezes as pessoas reclamam, sem razão. Em relação aos cupões, a empresa oferece tantas opções para os clientes os usarem e não se esquecerem deles. Se não vejamos: mandam cupões para casa, inventaram uma maquineta (dispensador de cupões) que imprime na loja uma segunda via dos mesmos, mandam uma SMS com o código, se a data do fim se está a aproximar e as pessoas ainda não o usaram, existe ainda a aplicação no telemóvel...

 

Isto porque um dia destes a dita maquineta estava avariada, porque também é normal que aconteça, e as pessoas faziam comentários sem nexo, desagradáveis. Acho que estão é mal habituadas.  Faz-me lembrar a altura em que o continente dava sacos térmicos na compra de congelados, depois se um dia não os tínhamos, começavam logo a dizer que éramos obrigados. E não era uma obrigação, mas sim uma gentileza do continente para com os clientes.

 

E outra coisa, quando imprimirem todos os cupões, e depois há alguns que devolvemos porque o cliente não leva os artigos, a maioria das pessoas diz: " pode por para o lixo, que depois imprimimos outra vez". Não se lembram do papel que se gasta, e do que isso implica no ambiente!?

 

Cada cliente é que tem de se organizar, planear a ida ao supermercado, verificar se tem os cupões, sacos, carteira, etc.

reclamsemrazao.jpg

O funcionamento dos cupões dos 15%

Sempre que há estes cupões, as pessoas têm dúvidas, apesar dos mesmo, já  não serem novidade.

cupone.JPG

Vem tudo lá escrito, e nós avisamos e sublinhamos no talão de compra, porque também vem lá mencionada a data ,  referindo que o saldo daquele cupão tem de ser descontado naquele período, caso contrário, desaparece. São regras, se não gostam, paciência,  mas não venham dizer que é malandragem!

 

Felizmente há clientes, que até gostam destes cupões, porque o valor acumulado é razoável, e têm uma semana para usufruir do desconto...

versocupao.JPG

Ler o verso também é importante.

Foi ao carro buscar sacos e nunca mais voltou...

Estou a atender uma senhora, pergunto se precisa de sacos, e ela responde que o marido foi buscá-los ao carro.

 

A senhora tinha um carrinho de compras bem cheio. O tapete começa a ficar sem espaço, e o marido nunca mais regressa. A pessoa que está a seguir começa a ficar preocupada, e diz à senhora se ela não pode ir colocando as compras no carrinho. A senhora tenta telefonar ao marido e ele não atende.

 

Como o marido continua sem aparecer, a dona das comparas e a cliente que está a seguir, vão colocando as compras a granel no carrinho, apesar de a dona das compras estar a dizer que vai ter dois trabalhos, referindo-se ao facto de depois ter voltar a colocar as compras nos sacos.

 

O que é certo é que atrapalhou ali um bocado o atendimento, e o dito marido, nem depois de tudo pago,  colocado no carrinho, apareceu.  

homedesaparecido.jpg

A lata deles

juty1207.jpg

Um casal já de meia idade, depois de colocar quase todos os artigos no tapete, passa com grande rapidez o carrinho e curva-o para um lugar onde a minha vista não alcança o seu conteúdo. Mas eu vi que tinha lá alguma coisa. Vou ver eram pacotes de leite, e disseram: "está aí um em cima, quando lá chegasse a gente avisava"! Ao que eu respondi: "mas eu tinha de confirmar, e a correr   assim com o carrinho, como é que eu confirmava!?"

 

E ficaram em silêncio o resto do tempo. No entanto eu agradeci e despedi-me com toda a educação. Mas fiquei em alerta, pois isto assim, mesmo que até tivessem boa intenção, não foi correto da parte deles.

Há pessoas tão esquecidas

Uma pessoa quando estaciona a viatura no parque de um  supermercado, já sabe à partida, em que estabelecimento está a entrar e o que vai lá fazer, certo!?

 

Por vezes parece que não, pois a pessoa entra, esquece-se dos sacos na viatura, esquece-se de um carrinho para transportar os artigos, deixa sempre algum artigo para ir buscar mais tarde, esquece-se verificar se tem cupões ou se precisa de os imprimir, esquece-se até de confirmar se leva a carteira! E o que faz!? Vai a correr fazer todas estas tarefas, enquanto, muitas vezes,  o tapete  fica cheio de artigos, e outros clientes desesperam na fila!

 

As pessoas, têm todo o direito de ser  despassaradas, desde que não prejudiquem os outros!

despassarados.jpg