Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A lupa de alguém

Sou operadora de caixa num supermercado Continente modelo. É esse universo que eu trato neste espaço...

A lupa de alguém

Sou operadora de caixa num supermercado Continente modelo. É esse universo que eu trato neste espaço...

O pagamento pelo sistema contactless

Mudaram recentemente os terminais de pagamento automático, ou TPA como também se pode chamar , no supermercado continente.

Já antes existia esta modalidade, onde, o cliente  tinha de aproximar o seu cartão multibanco ao TPA com tecnologia contactless. Bastava aproximar ou encostar, ao visor!

No entanto, agora o cliente tem de encostar, não tanto no visor, mas,  mais acima, ou seja, onde está o símbolo. Só que há ainda muitas pessoas que, mesmo depois de alguns meses neste sistema, a tendência, é aproximar do visor.

Então,  nós temos de estar sempre a dizer, "espere um pouco, porque ainda não está!" - pois as pessoas têm muita pressa neste momento! Depois "não é aí , é mais acima"! É que esta maquinazinha de  terminal de pagamento é sensível, porque se o cliente aproximar do lugar errado, faz birra e bloqueia, e temos de repetir o processo todo de novo!

Então, além de todas as frases obrigatórias que temos de usar, agora ainda temos esta situação, que se torna cansativa, já que temos de estar constantemente a dizer para a pessoa, esperar, depois que é mais acima, e depois ainda, pedir para repetir.

A culpa não é só do cliente, porque sei que cada supermercado, loja, estabelecimento, ou serviço  tem um sistema diferente.  Acho também que esta  nova maquinazinha,  é demasiado sensível, talvez precise de uma actualização!

Posto isto, pedia só que reparem no sítio onde está o símbolo do contactless, é aí que se deve encostar o cartão. Outra coisa: não é toca e foge, alguns cartões têm mesmo que encostar e esperar um bocadinho, não há que ter medo,  que o TPA, não morde!

Obrigada pela atenção!

contactless121.jpg

contactless122.jpg

O ataque pirata

Como muitos de vocês devem saber, a Sonae sofreu um ataque informático (ou um ataque pirata) no dia 30. No supermercado, as operações relacionadas com o cartão cliente, não estavam a funcionar bem. Nesse dia, não estive a trabalhar, mas estive ontem e hoje e as coisas ainda não estavam a cem por cento. A maioria dos clientes, quando explicávamos a situação, entendiam. Mas houve um ou outro cliente que não compreenderam.

Tive ontem, um cliente que fartou-se de reclamar, não me surpreendeu porque esse senhor já é reclamista por natureza. A dizer que a culpa era das pessoas que não queriam trabalhar na agricultura e que por isso tinham de comprar os produtos da Ucrânia e da Rússia quando há campos parados no Alentejo. Mas falava alto, não saía de lá com os artigos e não me deixava atender quem estava a seguir. Isso deixou-me stressada!

Hoje, a aplicação ainda está indisponível, e ainda não conseguimos aceder ao contribuinte associado ao cartão, mas de resto, o dia já foi mais tranquilo.

Obrigada a todos os clientes que têm compreendido a situação e têm sido solidários connosco!

SquarePic_20220401_15433726.jpg

Mudanças felizes

visorcontinente.jpg

Que feliz fiquei quando cheguei ao meu posto de trabalho e percebi que o sistema tinha mudado! Mudou para melhor! Agora no visor o valor que surge é o preço final. Agora está tudo bem discriminado, tudo: o que acumula em cartão, o que é desconto imediato. Agora o somatório que vai surgindo é o valor real. Agora já não há sustos!

Nós tínhamos de estar sempre a dizer ao cliente que o artigo fazia  o desconto no fim, dizíamos tantas vezes ao dia, que se tornava cansativo!

Espero que agora tanto o cliente, como nós, tenhamos mais tranquilidade.

Concordam que está melhor assim!?

Será que ficou mesmo zangado?

Num destes dias, o sistema parecia estar mais lento que o normal. Os talões demoravam a sair, a impressora também parecia andar mais devagar. A certa altura tentei andar mais rápido que o sistema, porque a situação já me estava a stressar. Uma cliente diz-me "então menina!?" Ao que eu respondo: "isto hoje está um pouco lento"! Mas disse isto a sorrir, e a cliente na brincadeira responde: " as maquinetas devem é de ser alentejanas!" Neste preciso momento um senhor que lá estava, responde: "os alentejanos, não são lentos, são mais trabalhadores que muitos outros!" Pelo tom do senhor, ele devia de ser alentejano... eu e a outra senhora  ficamos sem palavras!

1295999054811[1].jpg

 imagem copiada da internet

 

Tickets de refeição

Alguns dos clientes Modelo costumam levar destes tickets para descontar nas compras. Possivelmente são as empresas onde trabalham que têm esta opção para pagar o subsidio de refeição. Ora estes tickets normalmente chegam à minha mão ao molho e os valores de cada um são muitas vezes de dois ou cinco euros (por exemplo). O que acontece é que eu tenho de passar o código de barras um a  um, e numa conta elevada demora o seu tempo. Mas como nem sempre as pessoas (que estão na fila) estão a par deste processo, acham que a demora é muita. Há pouco tempo um senhor disse-me que eu não devia permitir estas demoras. Sim eu! Ora se o sistema está assim programado, que poderia eu fazer?

Agora, pelo menos os que leram este post, já ficam a saber que estes tickets demoram um bocadinho a passar, por isso peço um pouco de paciência.

Máquinas antigas vs sistema novo!

O sistema informático das caixas mudou já alguns dias, ou mesmo há semanas. Nós apercebemo-nos logo que aquilo estava bastante mais lento. A explicação que me deram foi que era o novo sistema a adaptar-se, mas dentro de pouco tempo ficaria normal. Por enquanto isso ainda não aconteceu. Aliás acho que está prior. Não está só lento, como parece mesmo atrofiado. Passo a explicar:

 

v Passamos o primeiro artigo e só segundos depois é que o registo aparece no visor, (dando á partida sensação equívoca que o artigo não está a passar);
 
v Clicamos no TOTAL e a conta regressa á ultima parcela, carregamos na tecla "ANULA" e o processo repete-se cerca de três ou mais vezes;
 
v Clico na tecla "FIDELIZAÇÃO", que é a tecla para fazer o desconto do cartão modelo e aparece no visor por diversas vezes uma mensagem a pedir o nº de telemóvel;
 
v Carrego em TPA (pagamento por multibanco) ou em NUMERÁRIO e não responde á primeira.
 
 
Agora multipliquem isto pelo número de horas que uma operadora está numa caixa e digam se não é dose para cansar... Já para não falar no tempo de espera dos clientes que também é a multiplicar.
 
Ouvi dizer que o sistema está assim porque as nossas máquinas são demasiado antigas para este novo e avançado sistema...
 
Em linguagem Kaizen (se alguém entender) “Isto é que vai aqui uma grande MUDA!”

Estimados clientes, informamos que o sistema multibanco não se encontra disponÍvel para pagamento!

 

 
 
 
Segunda-feira, dia de pouco movimento. Poucas operadoras de caixa, poucos clientes. Tudo decorria normalmente até o multibanco começar a dar anomalia. Nós íamos fazendo tentativas para ver se o multibanco funcionava. Começaram as filas paradas. Havia um multibanco por perto que felizmente dava para os clientes irem levantar e depois pagar em dinheiro. Ao som (voz) a informação era: "estimados clientes informamos que o sistema multibanco não se encontra disponível para pagamento". Quando as pessoas chegavam á caixa diziam que não tinham ouvido a informação.
 
Um senhor começou a dizer alto "chame o vosso chefe", mas felizmente a esposa acalmou-o, porque eu já estava a prever que ia sair ali uma cena de teatro. Sei que é aborrecido para vós clientes o multibanco estar fora de serviço, mas acreditem que a culpa não é nossa e que quando isso acontece toda a equipa se empenha para resolver o assunto. Muitas vezes a “culpa" é dos bancos ou é por falha de comunicação...

 

Como se costuma dizer o “dinheiro de plástico”, apesar de ser prático por vezes falha, mas só acontece muito esporadicamente…