Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A lupa de alguém

Sou operadora de caixa num supermercado Continente modelo. É esse universo que eu trato neste espaço...

A lupa de alguém

Sou operadora de caixa num supermercado Continente modelo. É esse universo que eu trato neste espaço...

Quando fazem a pergunta, mesmo sabendo a resposta

Sabem aquelas perguntas que os clientes fazem à operadora de caixa, mesmo sabendo a resposta. Por exemplo:

 

  •  veem a operadora com a cancela fechada a limpar o tapete  a arrumar e tudo e dizem : " Já vai fechar?!" ( então o deixa-me fula, é como se fosse cedo para fechar. Sabem lá eles há quanto tempo ali estamos);

 

  • a operadora está na caixa com a cancela aberta, à espera dos clientes e perguntam:" está a trabalhar?" ( apetece dizer, "não, estou só aqui para fazer turismo, e porque acordo cedo"!);

 

  • quando dizem "este cupão acabou ontem, mas eu não pude cá vir, ainda o posso usar!?" Ora normalmente os cupões têm uma ou duas semanas de duração, e se acabou, o sistema já não aceita. Depois ficam chataeados porque sempre que querem usar os cupoes, já passaram do prazo. Será que estes clentes também deixam passar o prazo do pagamento da conta da eletrecidade, ou da água!? Tudo tem prazos!

 

E há mais do género, mas estas  são as mais comuns, sendo que a primeira é a mais recorrente.

 

oquefazesaki.jpg 

 

 

 

O dia de responder torto e não levar represálias

Um dia destes, em conversa com uma cliente que também trabalha no atendimento ao público, comentávamos o facto de por vezes termos vontade de responder de forma mais crispada a certos clientes, quando eles são incorrectos, mas sabemos que  não o  devemos fazer.

 

Acabei por concluir que gostava de ter um dia em que me dissessem: "hoje podes responder aos clientes o que quiseres, o que achares adequado, que não vais ter qualquer represália, por isso"!

 

O que podia acontecer, era nesse dia, não aparecer nenhum cliente desses, porque felizmente a maioria deles, são simpáticos, educados e civilizados!

 

naosegurajh.jpg

 

Quando o cliente faz a pergunta, mesmo já sabendo a resposta

 

Estou no meu posto de trabalho, fardada, com a caixa aberta, e o cliente diz: "está a trabalhar?" Nestes momentos só me apetecia dizer :" não, estou só a descansar, vim, porque acordei cedo!"

 

Quando a caixa já está fechada e estou a limpar tudo, o cliente chega e diz :" já está fechada, não pode registar só duas coisinhas?" Gostava de responder: " pois, já acabei por hoje, agora vou à minha vida, porque tenho outras coisas para fazer, como por exemplo, comer, que estou faminta"!

Então as coisas não vão para os sacos?

Considero-me uma pessoa ponderada no que diz respeito aos clientes. Raramente dou uma resposta sem pensar primeiro. Mas por vezes, há aqueles clientes que me tiram no sério, mas mesmo assim acho que consigo ser educada e prestativa.

 

No outro dia, atendia duas senhora, talvez mãe e filha. Colocaram o cartão de cliente no meio das compras, parecia que queriam brincar às escondidas, para ver se eu o encontrava. Estava camuflado numa embalagem da mesma cor e por pouco que eu nem o via. Enquanto elas colocavam as compras no tapete eu embalei algumas coisas, mas quando elas passaram para o outro lado deixei de arrumar. Agora eram elas que tinham de o fazer, já que eram duas e havia outros clientes na fila. Mas elas não embalavam ficaram as duas a olhar para mim. E às tantas diz a cliente mais nova (talvez na casa dos 40 anos).

Cliente: Então as coisas não vão para os sacos? - ao que eu respondo, sem ponderar, mas que se calhar devia de me conter e não responder assim.

Eu: Se lhe der uma ajuda, vão!

 

Primeiro olharam-me e depois começaram a arrumar as coisas. Estava uma cliente na fila com vontade de rir...e depois a mesma quando estava a ser atendida, gabou-me a paciência.

 

Espero que esta minha resposta não tenha sido ofensiva!