Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A lupa de alguém

Sou operadora de caixa num supermercado Continente modelo. É esse universo que eu trato neste espaço...

A lupa de alguém

Sou operadora de caixa num supermercado Continente modelo. É esse universo que eu trato neste espaço...

Cada macaco no seu galho, cada funcionário no seu posto

Já aqui tenho escrevido sobre o facto de muitos clientes não quererem respeitar regras, desta vez, quero relatar sobre as inquietações dos clientes, porque também gosto de os ouvir e tentar perceber. E muitas vezes eles têm as suas razões. E ninguém gosta de esperar e toda a gente vai ao supermercado com muita pressa!

O que mais eles perguntam

  • "Porque é que há caixas fechadas quando há tantos clientes nas filas?"
  •  "Porque é que estão três pessoas na frutaria, quando faziam mais falta aqui nas caixas?"
  • "Porque anda aí tanta gente de um lado pro outro nos corredores e não as põem nas caixas?"
  • "Porque é preciso fazer barulho, para que chamem mais alguém para as caixas"!

 

Claro que para todas estas questões existem respostas. Para o cliente o tempo de chamar mais alguém para a caixa pode parecer imenso porque estão à espera, para quem lá está é o tempo de deixar de fazer o que se estava a fazer e ir até à caixa.  Quando respondo que cada funcionário tem a sua função e que nem todas as pessoas das outras secções sabem da caixa, e que as pessoas que andam de um lado para o outro estão a fazer alguma coisa, aí a resposta pode ser " isso já não sei"!

De uma coisa os clientes podem ter a certeza , o maior objetivo da loja é satisfazer o cliente, o melhor possível com os meios disponíveis!

MACACOS-imagem.jpg

Atitudes perfeitamente ridículas

Uma garrafa daquelas de tamanho médio de lixivia delicada da nossa marca está no tapete rolante juntamente com outros artigos. Reparo que derramou uma considerável quantidade de liquido, pois tinha na tampa um pequeno furinho ! A mulher (uma senhora aparentemente muito fina) começa logo a reclamar em voz bem alta, dizendo que já não era a primeira nem a segunda vez que tal acontecia. Infelizmente um saco com peixe fresco da peixaria apanhou com o liquido, mas chamei logo alguém para ver se era necessário trocar ou se limpando e trocando a embalagem do peixe a situação se resolvia. A senhora começou logo a dizer "mas não vem cá ninguém", no entanto a minha colega chegou logo e levou o peixe. A lixivia, a cliente não quis outra! Limpei o tapete e continuei o registo. A certa altura a senhora pega nos vales, atira-os para a frente, e diz: " veja lá essa porcaria, a ver se dá para alguma coisa"! Como eu já não sabia o que tinha registado e se os vales correspondiam, passei-os todos. Entretanto entrega-me também aquele dos 10% e eu digo, que aquele já não dá porque já passou do prazo.

 

Cliente: Passou do prazo?

 

Eu: Sim, era até dia 26 e hoje já é dia 28!

 

Cliente: Não, hoje é dia 27. Não me venha dizer que é 28, porque 28 é amanhã e eu sei, porque tenho um exame dia 28!

 

Eu tinha a certeza que era dia 28, mas quis confirmar pelo talão, para ter uma prova!

 

Eu: Olhe, como vê aqui pelo talão, hoje é mesmo dia 28!

 

 

Ela olhou para mim com cara de má, tirou-me o talão da mão e foi-se embora, dizendo que não voltava ao local, tão cedo!

 

As pessoas que estavam na minha fila, e eu própria até nos rimos, principalmente pelas atitudes ridículas que as pessoas muitas vezes têm! Está bem que ela ficou aborrecida e com razão da embalagem ter derramado, mas depois portou-se de uma forma...que foi um exagero!

imagesTYD0F5J4.jpg