Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A lupa de alguém

Sou operadora de caixa num supermercado Continente modelo. É esse universo que eu trato neste espaço...

A lupa de alguém

Sou operadora de caixa num supermercado Continente modelo. É esse universo que eu trato neste espaço...

"Ó menina, qual é o preço da tofina!?"

Como é possível, que haja clientes que julgam que nós, operadoras de caixa, sabemos de cor, os preços dos artigos e sabemos até, quais os que estão em promoção!?

 

É comum um cliente se aproximar da caixa, e perguntar se isto ou aquilo está em promoção; como também é comum alguém perguntar assim " por quanto é vocês estão a vender a tofina"?

 

Quando respondo "não sei de cor"; ficam abismados a olhar para mim como quem diz estás aqui a trabalhar, e não sabes?

 

Os preços e as promoções estão no sistema informático e ao registar é a "máquina" que pelo código de barras, faz as promoções e dá os preços!

 

omeninatofina.jpg

O bazarão do continente

bazarãocontinente.jpg

De certo que já repararam que agora o continente tem um novo espaço com o nome bazarão, cujo lema é : "bazarão, produtos que dão um jeitão". São imensas coisas que  todas as semanas,  mudam. Já comprei algumas  que são realmente úteis, e o melhor, é que os preços são acessíveis. Os clientes parecem estar muito satisfeitos. Tenho registado imensos artigos desta secção.

 

A capa do folheto desta semana:

capabazarao1.jpg

E tem artigos de cozinha,  produtos de beleza , tecnologia.

Enfim...

Esta semana,  comprei duas coisinhas que me vão dar um jeitão.

bazaraojeitao.JPG

Os super preços do continente

Mais uma vez repete-se a promoção no continente, em que o desconto é imediato ao invés de ir para o cartão continente. O folheto é de 30 de abril a 6 de maio. O engraçado, e às vezes já nem tem graça alguma, é que os clientes ainda não perceberam que no écran os preços passam pelo preço normal, e só no final da conta é que são feitos os descontos. É que muitos ficam a olhar para o écran de, de boca aberta, ou a dizer "não era o preço que lá estava!" ou então "mas isto não estava em promoção!?", e até "olhe que isso está a passar mal!, ou ainda: "já vai em 80€?! Ai que não pode ser"! Praticamente cliente a cliente, tenho de dizer que no final o sistema faz o desconto.

Compreendo que isto seja novidade para os clientes, mas se pensarem bem, mesmo quando há vales de desconto, é tudo passado no final. Mas estão no vosso direito de estar de pé atrás, entendo que os tempos estejam difíceis, e que não convém nada estarem a supor um preço e depois verem outro no registo.

Peço só que fixem uma coisa: os descontos, os vales, aparecem só no final, esperem pela operadora lhe dizer o total, só aí , se alguma coisa não bater certo, então exponham as vossas dúvidas!

 

Tanto? A menina não se enganou?

A crise está cada vez mais saliente nos tempos que correm. Acontece demasiadas vezes, os clientes se surpreenderem com o total da despesa. E aquela frase a menina não se enganou é repetida vezes sem conta. Muitas vezes, eu própria estranho o total e confirmo o talão dos clientes. Acabamos por concluir que o resultado está mesmo certo!

A melhor alternativa para estes tempos são as marcas brancas. Ainda bem que o assunto já foi falado em programas e noticiários da TV, talvez assim as pessoas aceitem que as marcas brancas tem qualidade.

O exemplo que deixo a seguir é a diferença entre dois cabazes , sendo um deles de várias marcas e outro de marca branca. A diferença é notável!

 

 

 

 Sigam este link e vejam a diferença...

 

Post com recorte no {#emotions_dlg.happy}

Em busca do preço mais barato

Como muitas vezes acontece,  conversa puxa conversa durante o registo das compras, e clientes e operadora têm sempre assunto. Um cliente já com alguma idade e reformado, dizia que tinha ido ao Modelo comprar o artigo X e que de seguida iria ao Jumbo comprar o artigo Y porque este estava lá mais barato e que de seguida ainda passaria pelo Lidl, porque um outro artigo lá estava mais barato que nos dois anteriores. É então que uma cliente entrevem dizendo, que o ideal era termos tempo, paciência e combustível para podermos fazer o mesmo e andar de um lado para o outro a comparar preços e a escolher o que está mais em conta, mas seria impossível com a correria que é a vida de quem trabalha! Ainda uma outra cliente referiu que muitas vezes o que hoje é mais barato num sitio , amanhã é mais caro nesse mesmo sitio e mais barato no outro, por isso a tarefa ainda seria mais difícil.

A pensar nesta conversa fiz uma breve pesqiuisa e encontrei um blog que refere que há empresas que se dedicam a comprar preços e a efcturem as compras aos clientes. Não me parece má ideia, podem ver no link que se segue:

Optimize as suas compras

 

Chapinhas dos preços na frutaria

 Um destes dias uma cliente, disse ser induzida em erro por causa de um preço na frutaria. Depois de a colega da fruta  lhe  ter explicado, que agora havia uma norma em que o preço em letras maiores correspondia ao preço do quilo e o preço em letras menores ao preço da embalagem (esta pode conter 2 ou mais quilos), a cliente compreendeu e aceitou a situação.

 

Entretanto já aconteceu mais um ou outro caso em que eu tive de explicar o mesmo aos clientes. Alguns dizem  ser publicidade enganosa. Eu disse que era natural que estranhassem agora no inicio desta norma, mas que depois seria um habito. Nem sei se disse o que deveria, sei que disse apenas o que eu achava. Até eu já fiquei uma vez baralhada, porque a tendência é olharmos para as letras maiores e não para as mais pequenas. Vocês já reparam nesse facto na frutaria, naquelas chapinhas dos preços?

  

Quando a divergência de preços acontece...

 

 

Na secção das frutas e legumes do supermercado onde trabalho estavam á venda dois tipos de morangos. Ambos com o selo continente. Tinham o mesmo peso, mas tinham preços diferentes e estavam ao lado um do outro. A diferença era que uns eram biológicos e os outros eram os comuns. O preço além de estar evidenciado numa placa vinha também na embalagem. Mesmo assim, passou uma cliente na minha caixa com duas embalagens diferentes. Quando a senhora percebeu que tinha passado com preços diferentes, chamou-me atenção, dizendo que tirou os dois no mesmo sítio e que não podiam passar a preços diferentes.

 

Expliquei a diferença e o facto de uns serem biológicos, mas a minha  explicação não foi suficiente e teve de lá ir um colaborador da secção que voltou a explicar tudo e ainda assim a senhora repetia que estavam ambos no mesmo lugar. A minha colega disse que poderia ter sido algum cliente que os tivesse misturado (é comum isto acontecer e depois na caixa dá sempre confusão). Com tudo isto as pessoas da fila iam batendo o pé e olhando para o relógio. a cliente lá decidiu aceitar as explicações e levar as duas embalagens de morangos.

  

Como o caso me deixou intrigada á saída fui lá espreitar e lá estavam os dois tipos de morangos bem evidenciados. Uma situação destas faz logo com a fila pare e com que as pessoas se desiludam. Desta vez não foi erro nosso. É muito frequente os clientes quando estão a escolher os artigos deixarem os mesmos fora do sitio, e se ninguém  (dos colaboradores) se aperceber do facto quando chegam á caixa pensam que é um preço e depois aparece outro e isso torna-se logo um episodio longo para quem espera...

 

 

A concorrência...

 

 

Só por curiosidade visitei um novo hipermercado (uma grande superfície) relativamente perto da localidade onde se localiza o "meu".   Estive a comparar os preços, só alguns porque também não sei muitos decore, mas deu para entender que os preços neste novo hipermercado estão mais baixos mas só uns cêntimos. Encontrei diferenças de dois e três cêntimos. Até parecia que alguém tinha feito um estudo pormenorizado dos "nossos" preços...