Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A lupa de alguém

Sou operadora de caixa num supermercado Continente modelo. É esse universo que eu trato neste espaço...

A lupa de alguém

Sou operadora de caixa num supermercado Continente modelo. É esse universo que eu trato neste espaço...

As pérolas do natal

perola[1].jpg

 

Nos dias que antecederam o natal, o supermercado estava como era de esperar, cheio. ainda assim dava sempre para ter "um dedo de conversa" com quem também se propunha a isso.

Gostaria de salientar neste âmbito, duas situações:

  • a primeira, uma cliente habitual, acompanhada pelo marido, diz no seu discurso que se aborrece com esta quadra, que o natal não lhe diz nada, e mais coisas do género. Ao concluir o atendimento, e depois de ouvir a sua palestra, pensei para mim " bem, é melhor não me despedir com celebre frase de boas festas e só dizer bom dia e obrigada. Vai ela retribui com um efusivo "Bom Natal"! Vá se lá entender esta gente...
  • o segundo foi um senhor que no dia 24 me perguntou, primeiro a que horas fechávamos naquele dia, respondi. Depois diz "mas amanhã está fechado"! Ao que eu respondi "sim, é dia de natal"! E responde ele "para mim é um dia igual aos outros"! Fiquei sem saber se devia de dizer que lamentava ou o que responder, e apenas disse "pois"!

Há sempre alguém a se fazer notar pelas suas teorias, portanto histórias para este novo ano, não vão faltar!

As compras na quadra natalícia

Olá a todos! Peço desculpa pela ausência. Nem sempre há tempo ou nem sempre há situações novas.

No entanto, nem última semana, têm surgido situações próprias da quadra natalícia. Situações de ainda mais correrias, pressas, intolerâncias! A Pesar de ser mais do mesmo, resolvi partilhar!

Tenho notado uma grande afluência, muitas pessoas e carrinhos cheios. Tenho de memória que em anos anteriores, as pessoas deixavam as compras mais para os últimos dias, mas este ano, começaram mais cedo. Totais de 200, 300 e até 400 euros. É bom sinal, pois significa que há dinheiro.

Ao mesmo tempo presenciei algumas situações de discussões entre clientes, tudo por causa das pressas. As pessoas vão ás compras, passeiam calmamente pelos corredores, encontram um amigo ou conhecido, trocam dois dedos de conversa, mas depois quando chegam à caixa, e percebem que há filas, ficam cheios de impaciência!

Quando abre uma caixa nova, a operadora ou operador diz "podem passar a esta caixa por ordem de fila", ora acontece que um cliente chegou naquele momento, naquela direção e pimba, ocupou o lugar. Claro que quem já estava nas filas, não gostou e uma senhora, manifestou-se, reclamando e o senhor, chico esperto, ainda disse "disseram por ordem de fila, mas não disseram de qual fila, já que há várias"!

E lá trocaram os seus galhardetes!

Se as pessoas fossem ao supermercado com tempo, com organização, tolerância e paciência, as coisas ficavam mais fáceis! Já se sabe, à partida, que nestas alturas, o movimento é grande! 

Boas compras e muita calma!

cuidados-compras-natal[1].jpg

Olha o espírito natalício no supermercado

Até na troca de turno, onde deveria limpar o meu posto de trabalho, os clientes não deixam, não são capazes de aguardar um minuto, mesmo nós a pedirmos, com receio que alguém lhes passe à frente, atiram com as coisas para cima do tapete...

Natal[1].jpg

Vá lá, não stressem... Já andamos o ano inteiro a correr, calma, afinal é Natal!

Boas compras!

Onde pára o espirito natalício, na ida ao supermercado?

super-in-christmas.jpg

Nos últimos dias, tenho notado as pessoas muito stressadas, apressadas, impacientes. Parece que andam numa correria enorme para chegar não sei onde. E os dias de maior afluência ainda não chegaram...

 

Uma senhora, depois de colocar alguns artigos no tapete, pega na sua grande carteira aberta e coloca-a em frente ao scanner onde eu tenho de registar os artigos. Digo:" olhe deixou aqui a sua carteira, e assim, não consigo registar", lá a tirou... Deixa-me indignada este abuso do espaço da operadora de caixa que já é tão pequeno!

carteirainvade.jpg

Não quero parecer desconfiada, mas uma vez, eu tinha os selos dos copos à minha frente e um senhor estava debruçado em cima do meu ecran, com as mãos quase a chegar aos selos, e a tapar-me a visão para o ecran.

 

De outra vez,  uma senhora estava ainda a arrumar os seus produtos, já uma das clientes seguintes estava a colocar sacos abertos, no tapete de saída.

 

De outra vez ainda, estava uma senhora a querer marcar o código do multibanco e tinha um senhor mesmo colado a ela , de forma que a senhora estava só a enganar-se no código, tive de pedir ao senhor que se desvia-se um pouco, ficando este todo ofendido!

 

 E um senhor que levou literalmente com o carrinho de outro nas costas, pois o outro vinha de costas a empurrar o carrinho e não viu que a pessoa ainda não tinha saído dali!?

 

Faz tanta falta umas marcas no chão para que o cliente que está a ser atendido fique protegido quer dos encontrões, quer da privacidade no pagamento e embalamento das suas compras, bem como, um novo sistema de caixas onde as operadoras não sejam invadidas pela ocupação indevida dos clientes incivilizados, que mexem nas nossas coisas, e invadem o nosso espaço!