Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A lupa de alguém

Sou operadora de caixa num supermercado Continente modelo. É esse universo que eu trato neste espaço...

A lupa de alguém

Sou operadora de caixa num supermercado Continente modelo. É esse universo que eu trato neste espaço...

Acham que mudam muito os artigos de lugar nos supermercados?

Hoje uma cliente chegou a minha caixa muito zangada e a reclamar, dizia que estávamos sempre as mudar as coisas de lugar e que assim não encontrava as coisas que queria. Depois dizia, que assim, ia lá á mercearia. Enfim, mas aquilo que ela não encontrava esteve quase sempre naquele lugar. Eu até acho que ali nem mudam muito as coisas de lugar, mas eu trabalho ali, sou suspeita. Vocês acham que mudam muito as coisas de lugar nos médios e grandes supermercados?

Há espaços que temos de respeitar

Por vezes há coisas que vistas de fora, podem achar que não têm importância alguma, mas estando "dentro do terreno" podem fazer algum sentido. Refiro-me a um facto que já aqui falei antes. É o momento em que ainda não acabei o atendimento a um cliente e o  seguinte já está atrás deste, encostado ou mesmo quase colado ao mesmo. É que eu chego a colocar-me no lugar da pessoa que está na sua vez e que se está a sentir pressionada pelo cliente que se segue!

 

Há dias, uma cliente confessou-me o seguinte : " da outra vez que estive aqui consigo queria pagar com o multibanco, mas a cigana que estava aqui estava mesmo em cima de mim e tive medo que me visse o código!" Eu lembrava-me perfeitamente da situação e tive a sensação que a cliente queria pagar com o multibanco e não em dinheiro porque a vi ali a hesitar. Suponho que esta senhora cigana nem teria habilidade para decorar um código, mas enfim, intimida um pouco haver uma pessoa por perto quando se pretende usar o multibanco.

 

Eu não sei se existe alguma solução para este caso, mas eu sinto nos clientes este incomodo. É facto que esta situação não acontece sempre, e há pessoas que são educadas e compreendem a situação e só se aproximam quando é chegado o momento certo, mas e esta minoria? Que se pode fazer? Dizer :" olhe desculpe...mas importa-se de se chegar um pouco...é que ainda não acabei de atender este senhor! Obrigada." É o que me ocorre dizer, e já o fiz, mas depois deixo o cliente embaraçado...

Pedir passagem por não haver caixa expresso

Como já  disse aqui, o "meu" Continente não tem caixa expresso ( em boa hora foi abolida ), e por vezes há clientes que pedem passagem. Isto acontece quando o cliente tem apenas um ou outro artigo e está um carrinho cheio à frente. Na maior parte dos casos há essa cedência, mas também acontece as pessoas dizerem não, porque também eles estão com pressa ( por exemplo). Lembro-me de há poucos dias um cliente pedir a vez a outra cliente que também já tinha pedido a vez e foi uma situação um pouco confusa.  Enfim, mesmo havendo um ou outro caso menos simpático, para nós operadoras o fim da caixa expresso foi muito positiva, resolveu muitos problemas, inclusive atritos entre os clientes.

 

Agora digam-me uma coisa: já alguma vez pediram passagem ou vos foi pedido passagem por não haver caixa expresso? Como foi? Acham que a caixa expressa vos faz falta?

É vergonhoso ver dois homens a discutir por um lugar na fila

Como costuma acontecer aos sábados, o supermercado estava cheio de gente. Talvez por ser o último fim de semana para usar uns cupões. Uma colega vinha a chegar para abrir a caixa e disse: "podem passar a esta caixa por ordem de fila"! É nesta altura que dois clientes começam a discutir quem é que está primeiro. Discutiam em voz bem alta de forma a chamarem todos olhares em sua direcção. Um dos homens disse : "eu não daqui, olhe chame a policia!"

 

Na minha caixa estava uma uma senhora com um filho pequeno e a criança até estava assustada. A senhora disse.-me " é vergonhoso ver dois marmanjões ( foi a expressão que usou) a discutir por  isto, já não há respeito!" Sinceramente a Sra. teve toda a razão, parece que há pessoas que gostam mesmo é de armar barraco! Por pouco não se pegavam, até foi lá o segurança acalmar aquilo. No fim das contas a diferença do atendimento entre aqueles dois  foi de uns míseros minutos...