Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A lupa de alguém

Sou operadora de caixa num supermercado Continente modelo. É esse universo que eu trato neste espaço...

A lupa de alguém

Sou operadora de caixa num supermercado Continente modelo. É esse universo que eu trato neste espaço...

Deve de estar habituada a criados

Estou a registar as compras as duas clientes que estão juntas. Ouço uma delas dizer "não quero as caixas" , mas pensei que era a conversa entre elas. Continuei a registar as compras, embalei algumas coisas para não acumular, uma vez que as duas estavam do lado de lá. Quando uma delas vem para o lado onde se embala, diz-me: " eu disse que não levava as caixas"! Ao que eu perguntei "que caixas?" Referia-se às caixas dos cereais. Ou seja: a cliente queria que eu além de registar e embalar as compras, ainda tirasse as caixas dos cereais para ela não  as levar para casa! Isto num dia de movimento e com pessoas na fila. Já não é a primeira vez que alguém me pede isto. Mas desta vez, como eu já tinha colocado as caixas nos sacos  disse-lhe que se ela as quisesse tirar e deixar ali, que o podia fazer, mas que eu não tinha tempo. Acabou por não as tirar e levar assim. Deve de estar habituada a criados. Mas nós somos atendedoras e não servidoras !

cereaisforacaixa.jpg

Fazer dos outros criados! Que falta de civismo!

- Não passe a lexívia...não passe o garrafão da água! - diz a cliente em alta voz!

- Então a agua e a lexívia já pertencem ao outro cliente! - Deduzo eu!

- Era meu, mas como estou a pé já não vou levar! É muito pesado. Levo outro dia!

 

Então se estava a pé porque levou os artigos para o tapete rolante?  Foi um lapso de memoria? Tudo bem, isso acontece, mas que tal falar de outra maneira, do tipo desculpar-se e retirar os artigos de cima do tapete?