Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A lupa de alguém

Sou operadora de caixa num supermercado Continente modelo. É esse universo que eu trato neste espaço...

A lupa de alguém

Sou operadora de caixa num supermercado Continente modelo. É esse universo que eu trato neste espaço...

Vocês têm de pagar o pão!?

Uma colega de trabalho que ia pagar só um pão para o seu lanche pede a uma cliente da fila se a deixa passar para pagar apenas o pãozito. É aí, que a cliente surpreendida diz: " mas vocês têm de pagar o pão?!" Ao que a colega confirma que sim. A cliente continuando surpreendida, diz que achava que nós não tínhamos de pagar o pão, já que, se trabalhássemos numa pastelaria, os lanches seriam pagos pelo patrão!

É claro que se assim fosse, o patrão teria muitos pães para pagar, mas não deixa de ser uma situação engraçada !

pão.jpg

 

Cenas perfeitamente evitáveis II

Sei que estou a ser repetitiva, mas são as situações que também se repetem. Novamente depois de eu ter fechado a caixa, ter arrumado tudo, e estar a preparar-me para sair, uma colega (chefe de secção) pergunta-me se lhe posso passar só  o almoço. Isto no momento em que já tinha dito a uma cliente que a caixa estava fechada, e mesmo com essa cliente a olhar para ver a minha resposta. E não havia filas, a colega apenas tinha duas pessoas em espera? Eu disse à colega que não a podia atender porque já outra cliente me tinha pedido e eu tinha dito que “estava fechado”! A resposta da colega foi “eu nem comento”.

 

É que depois eu é que me fico a sentir mal com a situação e a falta não foi minha. Custa-me que as pessoas não respeitem o meu trabalho, ainda por mais pessoas de onde devia de vir o exemplo, já que são pessoas bem formadas, e por isso (neste caso) são chefes. E depois parece que ficam zangados comigo.

 

Mas desta vez vou fazer alguma coisa. Vou mesmo!

imagine34.jpg

Modelo e modelos

 

Há dias falava com uma colega que também trabalha na mesma função que eu e também num Modelo. Palavra puxa palavra e começamos a falar do que mais gostávamos e do que menos gostávamos. Ambas admitimos que estes horários não fixos deixam-nos baralhadas, na medida em que na mesma semana tanto podemos entrar às 9:00H, como às 11:00H; tanto podemos trabalhar 5 horas como fazer apenas 3 ou 4 diárias  (exemplo partime) consoante o plano e a necessidade da empresa. Mas enfim sabemos que está dentro da lei...
 
 
Mas o que mais me surpreendeu e pela positiva, foi a forma como no Modelo desta minha colega se faz a saída da operadora de caixa. Lá cerca de  dez minutos antes da hora de saída da operadora, a supervisora vai até á caixa e fecha a caixa no último cliente, de forma a depois a operadora poder fazer o fecho na sua devida hora. Quando por algum motivo é preciso que a operadora fique mais uns minutos (coisa rara, pois está tudo muito bem organizado), é feito um pedido á operadora com toda a educação. Assim sendo a operadora pica sempre o cartão no momento certo, e ninguém se aborrece.
 
 
Eu achei isto tão fantástico, uma vez que no Modelo onde eu trabalho o sistema não é assim. Nós ficamos na caixa até á nossa hora de sair, depois ligamos para o balcão de informação e pedimos autorização para fechar. Depois ainda atendemos até ao último cliente da fila. De seguida ainda temos as tarefas: limpeza e  arrumação. Mas ainda há um outro pormenor, que é uma supervisora muito especial. Quando ela está no comando e nós pedimos para fechar a caixa, ela diz para esperarmos (e como esperamos), isto não acontece uma nem duas vezes é quase sempre. Porquê? Talvez porque é um bocado menos organizada que as outras, porque tem mau feitio, porque não está para se preocupar! Aqui há uns tempos ela esteve de férias e houve alguém que disse: "esta semana vamos todos sair a horas!" E assim foi!   Enfim, como podem ver nem tudo é perfeito no meu Modelo...
 
 
Esta minha colega também tinha quanto a mim, um ponto menos bom, que no meu Modelo não é obrigatório. Elas não podem ir todas fardadas ( se for verão levam outra t-shirt, de inverno vestem um casaco por cima) de casa. Eu sempre fui, aliás quase todos vamos, exceptuando os colegas dos frescos, claro!
 
 
E foi assim, a nossa conversa. Devo dizer que esta colega não sabe que eu tenho um blog, daí eu também não referir localidades nem nomes!
 

As colegas...

 

Em dias de pouco movimento como foi o de hoje ( quase sempre ás segundas), temos a tendência para trocar algumas palavras com as colegas, mas disfarçadamente , já que estar de costas não é bem aceite pela nossa chefia e também não fica bonito na fotografia. Ainda assim a tentação " é inevitável , mas sempre com compostura e muita classe... Lógico que o principal é o respeito pelo cliente e nunca o devemos "desprezar" em detrimento de uma conversa com um colega, isso seria um erro da nossa parte...

Imaginam como seria um dia na nossa posição de serviço sentadas a olhar só de frente quando não há clientes para atender, sem falar com ninguém , a contar os minutos no relógio? Um tédio, certo? Então se encontrarem duas meninas das caixas a trocarem umas palavritas e uns risos não levem a mal, pensem no que eu lhe disse...