Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A lupa de alguém

Sou operadora de caixa num supermercado Continente modelo. É esse universo que eu trato neste espaço...

A lupa de alguém

Sou operadora de caixa num supermercado Continente modelo. É esse universo que eu trato neste espaço...

A idade da falsa inocência

Antes eu até podia espreitar para os carrinhos, para dentro dos sacos, mas não tinha a autoridade, que agora tenho, para pedir que os sacos passem por cima do tapete em vez de irem dentro dos carrinhos.

Desde que tenho esta "autorização", quase todos os dias, aparecem uns "brindes".

Naquele dia, não foi exceção. Quando pedi educadamente uma senhora idosa para me passar os saquinhos que estavam dobradinhos no fundo do carrinho, e mesmo vendo a atrapalhação da senhora, julguei que era ela que não me estava a perceber,  não esperava que lá estivessem quatro artigos: um esfregão da marca scotch brite , uma esponja de banho, um rolone e um shampoo para o cabelo. Meteu tudo em cima do tapete e não disse nada.

Podem dizer que foi sem querer. Que são coisas da idade. Talvez, mas tenho dúvidas, porque ela ficou muito atrapalhada!

Já não é a primeira vez que os "brindes" surgem nesta faixa etária!

imageh678.jpg

Trocas e baldrocas nos carrinhos do supermercado

laranjinha4.jpg

Um senhor está a colocar os produtos no tapete, quando repara que tem um saco com laranjas, que não lhe pertence. Alguém, por engano o colocou no seu carrinho. O senhor ainda pergunta a umas pessoas que lá estavam se as laranjas seriam deles, mas não eram. Entreguei-as a uma colega para que fossem colocadas no sitio.

 

Mas, por coincidência, cerca de uma hora depois, chega uma senhora à minha caixa,  dá por falta de um saco com laranjas e pede-me para o ir buscar, convencida que se tinha esquecido dele na frutaria. Ainda pensei em lhe contar que o seu saco de laranjas já ali tinha estado, mas depois achei melhor, não dizer nada!

 

É uma situação habitual, com certeza que já muitos de vós passastes por isto. Ou encontrastes artigos que não vos pertenciam no vosso carrinho ou já vós próprios, por engano colocastes artigos no carrinho de outras pessoas. Andamos todos muito distraídos, que nem nos damos conta!

 

Mais uma vez, um carrinho sem dono a marcar lugar

Alguém deixou um carrinho de compras na fila e desapareceu. Chegou um cliente com três artigos na mão, chamei-o, ele passou e eu atendi-o. Foi embora. Chegou uma jovem com poucas coisas. Desta vez eu levantei-me e fui desviar um pouco o carrinho, pois as pessoas quando ali chegavam hesitavam em passar. Depois de atender esta jovem, chegou um casal com um carrinho cheio. Ainda olhei em redor não vi ninguém, nem sabia a quem pertencia o carrinho. Comecei a atender este casal quando chega uma senhora toda cansada. Quando viu o seu carrinho de lado e as compras dos outros em cima do tapete, disse logo : " Então?! Quem é que tirou o meu carrinho da fila?" Imaginem a minha situação! Lá tive de dizer que não podia estar ali parada, que estas pessoas já eram as terceiras que eu estava a atender, disse tudo com muita calma e com boas maneiras. A senhora pareceu entender, até se desculpou dizendo que lhe parecia não se ter demorado assim tanto.

Enfim...desta vez até nem correu mal de todo! Mas têm de entender que o carrinho não vos pode substituir na fila!

Falta de higiene nos carrinhos de compras

Depois de receber este email, resolvi escrever algo sobre o assunto.

É verdade que muitas vezes os carrinhos do supermercado aparecem sujos. Os próprios clientes deixam no fundo dos carrinhos papéis de publicidade. Quando há crianças, acontece por exemplo: a criança beber um pacotinho de leite com chocolate, ora se deixar lá a embalagem mesmo que vazia acaba sempre por derramar uma gota do produto e deixa logo o carro pegajoso. Isto chama logo as moscas e propagam-se logo imensas bactérias.

 

Por exemplo, aqueles cestinhos com rodas são frequentemente lavados e higienizados, pois eu vejo isso muitas vezes. Em relação aos carrinhos é necessário que se faça o mesmo, mas nem sempre há pessoal suficiente para a tarefa. Como é difícil mudar as atitudes dos clientes, cabe à empresa encontrar um método eficaz para este caso. Por exemplo numa localidade do Brasil, foi criada uma lei a este propósito, como podem ver aqui.

 

Se já passaram por esta situação, de encontrar o carrinho sujo, podem também deixar aqui um comentário em que condições foi, e se conhecem algum método eficaz para a situação escrevam. Todos juntos podemos levar mais longe a nossa voz!

Carrinhos de compras com rodas como as dos automóveis

Já por diversas vezes vi os clientes a empurrarem o carrinho de compras para um lado e o dito a ir para o outro, mesmo com muito esforço! Eu própria sei o que custa empurrar um carrinho cheio.

 

Um dia um cliente, disse-me que o ideal era o carrinho das compras ter as rodas como as dos automóveis e explicou-me como deveria funcionar! Achei uma óptima ideia: tal como as rodas dos carros são fixas atrás e rotativas á frente, se os carrinhos de compras tivessem as rodas de trás fixas e as da frente a andar seria mais fácil andar com eles, ou não? Se calhar até já existem carrinhos assim, mas no "meu" Modelo ainda são daqueles mais antigos!

 

" Onde estão aqueles cestinhos de mão"?

Esta pergunta já me foi feita algumas vezes pelos clientes. Na verdade não soube responder. É que desde que apareceram estes cestinhos com rodinhas, os antigos deixei de os ver. Um dia um Sr. disse-me: " só venho buscar duas ou três coisas, não estou para andar a puxar um carrinho destes, onde estão os outros"?

Pensava eu que estes carrinhos (os da seg. imagem) tinham vindo facilitar a vida dos clientes, mas afinal, os antigos ainda podiam continuar por aqui...

 

Os carrinhos pequenos vermelhos não podem ir à rua...

 

Estes carrinhos fantásticos que estão dentro do supermercado ou hipermercado (á entrada)  não podem ir ao parque onde estão estacionados os automóveis. Tem surgido por várias vezes os clientes quererem levar o tal carrinho com as compras à rua. Nós tentamos dizer aos clientes que aqueles carrinhos são para uso exclusivo no interior da loja, mas penso que essa "regra" deveria estar escrita em algum lugar para que as pessoas entendessem que não é má vontade nossa, mas regras que temos de cumprir. Sabemos que o facto dos ditos terem umas rodinhas dá um grande jeito...mas para circular nos corredores do interior da loja. Certa vez houve um cliente que me disse: "mas há colegas suas que deixam" - na verdade no inicio nós chegamos a permitir isso (muito esporadicamente)  com a autorização do segurança, mas depois o cliente deixava-os na rua abandonados e não os trazia de novo para o interior da loja... Infelizmente  por causa de um todos "pagam". Peço então a compreensão de todos para esta regra...

 

 

Gostava que me deixassem um comemtário. Fico muito feliz quando tenho algum comentário. É sinal que alguém me ouve... por isso visitem, comentem, divirtam-se, façam sugestões...