Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A lupa de alguém

Sou operadora de caixa num supermercado Continente modelo. É esse universo que eu trato neste espaço...

A lupa de alguém

Sou operadora de caixa num supermercado Continente modelo. É esse universo que eu trato neste espaço...

Uma caixa dedicada aos seniores

Actualmente o dia a dia das pessoas é um stresse, uma correria, quase ninguém faz as suas tarefas calmamente, e muito menos alguém vai ao supermercado com calma e com tempo. Ou é porque têm almoço para fazer, porque têm alguém à espera, porque vão apanhar o autocarro, porque têm de ir buscar os filhos à escola, porque estão atrasados para o trabalho, enfim.

 

No entanto há um pequeno número de pessoas, que já passaram esta fase de correrias e de stresses, e que agora precisam é de tempo e sossego para fazer as suas tarefas. Refiro-me aos seniores, ou velhotes. Muitos deles precisam de mais tempo, precisam de ajuda, precisam  até, de  ter um pouco de conversa, mas os demais não deixam e pressionam-os. Recentemente uma senhora, reclamava que estava em cima da hora para entrar ao serviço, e dizia referindo-se a um idoso, que estava a demorar imenso para tirar o dinheiro da carteira, "mas porque é  que esta gente vem para aqui a esta hora"!? Não sei se o senhor percebeu, mas fez-me pena, as pessoas a certa altura da vida perdem a agilidade e não conseguem fazer as tarefas mais básicas com a rapidez esperada. Eu posso ajudar a embalar as compras (caso o cliente queira), mas não posso mexer na carteira das pessoas e tirar de lá o dinheiro, tenho de esperar.

 

Há outros velhotes, para quem dois dedos de conversa entre eles e nós, lhes faz bem, anima-os, mas mesmo essa conversa não fazendo com que o processo atrase, as outras pessoas, acham logo que a conversa vai atrasar o atendimento.

 

Eu compreendo que não haja tempo para demoras e que as pessoas tenham os seus compromissos, mas não colidam com  estas pessoas, pois certamente lá chegarão um dia.

 

Do meu ponto de vista, acho que fazia falta a existência de uma Caixa Sénior . Não me refiro a uma caixa prioritária. Refiro-me a uma caixa para pessoas mais velhas, que precisem de ajuda e que não estejam com pressa. Nessa caixa, a operadora atendia a um ritmo mais vagaroso, de acordo com o cliente em questão, o cliente até podia ter uma cadeira para se sentar, caso as suas pernas assim o pedissem. A desvantagem seria, nos dias em que são muitas as pessoas desta categoria, não chegar apenas uma destas caixas, daí eu achar que esta caixa sénior seria apenas uma utopia!

 

Ultimamente tenho assistido a muitas ocorrências, onde as situações com os mais velhos não são  bem compreendidas pelos outros, e custa--me ver e não poder fazer quase nada! Certa vez pedi uns trocos a uma velhota, que demorou uns segundos  a encontra-los e logo um senhor da fila   disse:   "se não lhe tivesse pedido os trocos, já estava despachado"!

 

Enfim, quem sabe um dia, os seniores tenham um atendimento mais  apropriado, eles merecem, pois já trabalharam muito, já passaram por muito e agora mereciam essa atenção!

 

seniorcaixa.jpg

 

 

Saber esperar...e ouvir

Estou a registar as compras a umas pessoas que levavam muitos artigos com super preço, ou seja, com desconto imediato. Mas, eu não sei de cor os descontos que estão a decorrer, pois felizmente está tudo no sistema.

 

À medida que vou registando os artigos, o preço que passa é o original, sem desconto. As pessoas estão a olhar para o ecrã, paradas, pasmadas. Nem arrumam os artigos, pois estão numa espécie de "estado de choque"! Uma começa abanar-se e a dizer "ai...em quanto é que a conta já vai!?" Diz a outra: "a como é que passou aquele detergente!?" E começam a discursar,  entre elas,  aflitas e eu a dizer, que se tinham produtos com desconto, a conta ia baixar. Mas elas, não me ouviam e estavam prestes a ter uma coisinha má, carrego no total e a conta reduz para metade, e digo qual  o valor da conta.

 

Lá respiram de alivio.

 

Eu sei, que o custo de vida está mau, que pode haver enganos, que desconfiar é natural, mas porque não têm  calma e não esperam até a operadora dizer o total. Tive de carregar no total, para as aclamar, antes de fazer todas aquelas perguntas obrigatórias, incluindo contribuinte na fatura, e depois voltar atrás.

 

E esta situação repete-se muitas vezes! 

 

atencaopessoal.jpg

Qual o momento em que a pressa é maior

Por vezes, tenho a sensação que os clientes  têm mais pressa quando estão na fila a aguardar que lhe registem as compras e até na hora de pagar. Muitas vezes, ainda não conclui o registo, não fiz as perguntas da praxe, nem disse o total, já determinados clientes  estão com o multibanco inserido no terminal a tentar marcar o código!

Por isso...

semstresses.jpg

Os descontos surgem no fim do registo

Já não é a primeira vez que toco neste assunto, mas acho que vale a pena relembrar: os descontos dos produtos que estão com super preço, ou seja, desconto imediato, só aparecem no ecrã onde os clientes seguem o registo, depois do registo de todas as compras. É só aguardar um bocadinho para os confirmar. E se alguma coisa não corresponder ao que viu na prateleira, tudo tem solução, podemos anular o produto, rectificar o preço ou simplesmente o cliente desistir dele.

 

É preciso é ter calma!

 

atencaopessoal.jpg

Um pouco de calma, por favor

Estavam poucas caixas abertas, porque o movimento também estava fraco, praticamente não havia clientes. No entanto, e não sei bem de onde (desabrocharam do chão, talvez), começam a chegar à linha de caixas imensos clientes com cestos e carrinhos cheios.

 

De entre estes, começa um a dizer em voz bem :" tanta gente no desemprego e não metem as pessoas aqui a trabalhar!" É sempre isto, as pessoas não dão nem uns minutos. È claro que há mais gente ali a trabalhar, não havia era necessidade de estarem ali, na caixa, parados à espera que que os clientes chegassem...

 

esperarcomcalma.jpg