Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A lupa de alguém

Sou operadora de caixa num supermercado Continente modelo. É esse universo que eu trato neste espaço...

A lupa de alguém

Sou operadora de caixa num supermercado Continente modelo. É esse universo que eu trato neste espaço...

Que os voluntários regressem em breve ás campanhas à porta do supermercado

regresovoluntarios.jpg

original.jpg

Estamos numa época em que tudo está diferente. Tempo de mudanças, de novas tendências.

Ensino à distancia, teletrabalho, layoff, situações de cancelamento de atividades, lojas fechadas. e mais umas tantas coisas.

No entanto há coisas e situações que esta mudança não beneficiou nada. Refiro-me às campanhas com voluntários à porta do supermercado, tanto banco alimentar como banco solidário animal.

Não são a mesma coisa desta forma actual, não tem o mesmo impacto nas pessoas. Principalmente em localidades do interior do país.

Algumas razões:

  • As pessoas têm dificuldade em acreditar e aceitar vales,
  • Não poderem ser elas a escolher os artigos que podem e querem oferecer,
  • O entregarem o seu donativo ás pessoas que lá estão identificadas,
  • Verem os carrinhos já com artigos, sabendo que estão a ajudar a encher.
  • O palpável é mais credível que o virtual.

Além de tudo isto, sei que sendo nós, operadoras de caixa, a pedir, as pessoas sentem mais liberdade para dar respostas tortas e desnecessárias. E nós desde há um ano, já estamos tão desgastados de chamar atenção por incumprimento das regras, já temos outras campanhas para divulgar, outras perguntas a fazer, e ainda ter de levar com as atitudes destas pessoas. Porque muitas pessoas não respondem simplesmente sim, não ou já contribui, elas têm de deixar o ser parecer, o seu incomodo, o seu desagrado.

Espero que isto tudo passe e que os voluntários possam voltar, caso contrário muitas famílias carenciadas e principalmente os animais  ficam prejudicados (porque ajudam melhor pessoas que animais - o que é normal) !

Que o regresso esteja para breve!

Muita falta de conhecimento e informação

Uma senhora de idade estava com a jovem neta às compras.

Todo o processo estava a correr muito bem, a neta foi  muito pro-activa a ajudar a avó. Chega a fase do pagamento, e a velhota abre a carteira põe a máscara no queixo, pega numa maço de notas de 20€, cospe para os dedos e começa manusear as notas. Peço-lhe para colocar a máscara, vira-se para mim, e na maior  descontração diz-me "e como é que quer que conte o dinheiro com a máscara"!? Como se o dinheiro só se pudesse contar daquela forma. É a neta que convence avó que tem de por a máscara.

Daqui se percebe que ainda há muita falta de comunicação, entendimento e cuidado em relação a esta pandemia. Do que adianta aquela senhora ter levado a máscara, ter provavelmente desinfetado as mãos à entrada, ter feito o distanciamento se depois fez umas das  piores asneiras !?

imagemvelhota.jpg

Três importantes invenções

3importantesinvencoesR.jpg

As três têm um R, ou sejam, roldana, roda e tapete rolante.

  • a roldana: para facilitar o levantamento de objetos pesados;
  • a roda: uma das mais importantes invenções humanas. Para tornar o transporte mais fácil e rápido!
  • o tapete rolante:para que os artigos rolem, sem que seja necessário esforçar a coluna, facilitando o trabalho dos funcionários e clientes no supermercado.

Porque tudo o que rola, é para facilitar e ajudar as pessoas!

AinvencaodoTapeteRolante.jpg

Pérolas

Explico a um casal a campanha do banco solidário animal. Disse-lhes que devido à pandemia os voluntários não podiam estar à porta do supermercado, e que, por isso, tínhamos os vales. O senhor concordou em ajudar e perguntou qual era a coisa mais barata que eu lá tinha, então eu disse que era o valor de 0,69€. Perguntou o que era eu disse que era ração para cão, ele responde: "ah para cão , não!" Então digo-lhe outro valor, mas para gatos, ao que ele responde "para gatos também não"!

 A esposa diz-lhe "mas é tudo para animais"! É então que ele remata dizendo: "Para animais , não ajudo, quem os quer ter, que os sustente!" Ainda lhe disse que eram os animais de rua e de abrigos que estaria a ajudar, mas o senhor manteve a sua posição!

missaocontinentesolidariedade.png

Quem me conhece sabe que ajudo a alimentar uma colónia de gatos e que por isso fico com pena que não percebam este tipo de iniciativas! Por pouco que seja, qualquer ajuda , vale!

Não custa nada mostrar os sacos vazios à/ao operador/a de caixa

É sempre um stresse quando as pessoas passam com o carrinho cheio de  sacos vazios, folhetos, malas , casacos. Creio que devem ter noção que além de estarem a dificultar o nosso trabalho, estão a dar motivos para que desconfiemos! Ninguém lê o pedido que lá está a pedir que coloque os sacos sobre o tapete e que  passem o carrinho vazio para o outro lado!

É que se mostrarem, nem é necessário que o coloquem em cima do tapete. Há uma senhora, que me chama, abre o saco, e vira-o para baixo e eu só faço ok com o polegar!

Recentemente, uma senhora passou, tinha um monte de sacos que até estavam dobradinhos, mas eu levantei-me e fui observar. Ela percebeu e disse: "você veio espreitar os sacos? São meus já os paguei"! Ao que eu respondo que não foi por  isso, mas pelo facto  de ali estar um pedido, e que nós precisávamos de ver os sacos! A senhora, talvez indignada com o que lhe tinha dito, vai mexe nos sacos e diz: "Mas estava com receio que levasse aqui alguma coisa!?" E quando ela sacode os sacos, sai de lá uma pasta de dentes.

A senhora, lá engoliu a sua arrogância, e não disse mais nada!

Eu acredito que até foi sem querer e que a surpresa dela foi igual à minha, mas isto só prova que o nosso pedido é mais que legitimo!

sacossobretapete.jpg

Missão continente e animalife juntos no banco solidário animal

Devido à pandemia que estamos a atravessar, as associações de proteção animal, viram canceladas a habituais formas de angariação de alimentos à porta dos supermercados,  para os patudos que vivem à guarda de associações, como também animais errantes (colónias )  e até  a animais pertencentes a famílias em situação de carência económica.

Em alternativa, existe no continente esta possibilidade de se angariar os alimentos através de vales de banco solidário animal, para que assim se possa contribuir para que não haja abandono, e sobrepopulação de gatos e cães quer nas ruas quer nos abrigos.

Assim a Missão Continente e a Animalife  em parceria, juntam-se à causa com a máxima: “Não deixe para amanhã a ajuda que pode dar hoje”!

image%3A23401

A campanha disponibiliza quatro vales solidários, do género da imagem a baixo, com valores a partir de 0,69€, repartidos entre alimentação seca e húmida para cão e gato. A iniciativa decorre até dia 22.

FB_IMG_1615649384390.jpg

Desde já obrigada pela colaboração, compreensão e partilha!

Tendência acrilica

Já passou cerca de um ano desde o inicio da pandemia em Portugal. entre outros mecanismos, ou novidade, por assim dizer, surgiu o acrílico. Algo visto como um escudo protetor.

caixacompagamentoacrilicado.jpg

Não apareceu somente nos supermercados, como também em outras empresas e serviços, nomeadamente, escritórios, restaurantes, hotéis, salões de beleza, bancos.

Posso até arriscar dizer que os fabricantes de acrílico, tiveram o seu negocio bem activo!

SquarePic_20210307_09535863.jpg

SquarePic_20210307_09544167.jpg

SquarePic_20210307_09545387.jpg

Não posso escrever sobre a eficácia do produto, pois não tenho conhecimento para isso, apenas posso dizer que me faz sentir mais segura. O problema é que dificulta um pouco a comunicação, já que o som, as nossas palavras e as dos clientes, não passam bem, temos de falar mais alto!

Ainda me recordo de no inicio, ter pedido a um cliente para pagar pela janela de pagamento do acrílico e ele ter respondido "então por aqui o vírus não passa, é?" Igualmente me recordo de quantas vezes os clientes não respeitaram o acrílico, transpondo-o, atirando artigos por cima, dando trolitadas nele!

No supermercado onde trabalho, estou quase dentro de uma caixa rodeada de acrílico por todos os lados. Já alguém me disse que estamos bem protegidos, como se fosse uma fortaleza!

Qual a vossa opinião sobre esta tendência acrílica!?

A corrida para manter o tapete rolante limpo

Uma coisa que me deixa stressada é quando não consigo ter o posto de trabalho limpo e arrumado. O tapete principalmente!

Quando chego, se tiver tempo, depois de colocar as moedas e notas nos compartimentos certos, é logo começar a limpar, os tapetes, arrumar as gavetas, os vários tipos de sacos. Faz-me confusão estar a atender se não estiver tudo como acho direitinho e correto!

Antes tínhamos uns paninhos que facilitava muito a tarefa, mas depois acharam que o melhor era usar aqueles ziguezagues em papel, e a limpeza, a meu ver, muito mais foi a mesma!

O meu foco é quando o cliente se chegar à janela do acrílico para fazer o pagamento no multibanco, ir logo ao tapete de saída limpar. A maior parte das vezes corre bem, mas há outras vezes que a cliente deixa lá a mala, e aí já não posso andar lá com o spray.

O tapete de recepção dos artigos, tento sempre ir logo limpando, à medida que vai rodando, porque raramente o cliente espera que o limpe. As pessoas têm mais pressa, do que a preocupação do tapete estar limpo.

Já aconteceu o tapete estar molhado, devido aos congelados, ás alfaces, e até se junta isso  pó de batatas ou farinha, eu dizer ao cliente para me dar uns segundos para limpar, e a resposta ser "deixe lá , estou com tanta pressa! " Como isto me incomoda. Já respondi que tinha mesmo de limpar. É que são apenas uns segundos!

Por vezes corro tanto de um lado para o outro, só para conseguir manter o tapete limpo.

Quando estou no lugar de cliente, gosto de colocar os meus produtos sobre um tapete limpo, principalmente nos dias que correm, em que isso é tão importante e essencial!

limpezatapeterolante.jpg

Animais racionais e irracionais

Quando era miúda e vivia no campo, pude conhecer muitos animais. Tive o gosto de conhecer e lidar com animais de rebanho, ovelhas e cabrinhas, principalmente.

Recordo-me bem como eram ordeiras, respeitando o seu pastor e  as cercas.

dans-l-enclos-des-chevres.jpg

Sabiam que se a cerca estava fechada era para não passarem por lá, e quando estava aberta, aí era o seu local de passagem.

247d7abb1d8bc3ab2c5f099b8b34118e.jpg

Já o ser humano ainda não conseguiu entender a utilidade das barreiras acrílicas no supermercado. Certamente ainda precisa de mais tempo. Se uma pessoa tem um vidro à frente, julga logo que é para andar às cabeçadas, ou  a atirar produtos  por cima, pelos lados, mesmo que além das barreiras, haja a ajudar sinalética com as três cores dos semáforos, onde ainda terá de aprender que a zona vermelha não é para colocar artigos, já que existe uma zona verde.

osfuracrilicos09.jpeg

Mas isso é demasiado complicado para se aprender num só ano, é preciso mais tempo, certo!?