Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A lupa de alguém

Sou operadora de caixa num supermercado Continente modelo. É esse universo que eu trato neste espaço...

A lupa de alguém

Sou operadora de caixa num supermercado Continente modelo. É esse universo que eu trato neste espaço...

Ser conhecida, mas não conhecer

Talvez por trabalhar num sítio de atendimento ao público, muitas pessoas me conheçam. No entanto, eu tenho alguma dificuldade em reconhecer caras, e, por vezes as pessoas metem-se comigo, cumprimentam-me e eu fico sem saber dizer, de onde as conheço.

Sempre fui assim com caras, sempre tive dificuldade em reconhecer rostos. Não sei se terei um distúrbio com o nome de Prosopagnosia.

Acontece muitas vezes as pessoas virem falar comigo, e quem está comigo perguntar "quem é?" e eu não saber responder, e, algumas vezes, nem serem clientes do supermercado onde trabalho, mas até colegas, ou pessoas que me conhecem de outros ambientes, incluindo familiares.

Muitas vezes, o que me vale é que posso esquecer um rosto, mas a voz, eu dificilmente esqueço, já a cor do cabelo, é melhor não me guiar por aí, porque é algo que as pessoas mudam com alguma frequência!

Por isso, não me levem a mal, se eu não vos reconhecer no imediato
!

Prosopagnosia.jpg

Tenho prioridade, algum problema?

Quando chego, já havia filas nas outras caixas, por isso peço para passarem para a minha caixa, pela mesma ordem.

Um senhor "fura" descaradamente a fila, quase derrubando as outras pessoas. Então eu digo que tem de esperar, porque há pessoas à frente. Vai, ele responde, com altivez : "Pois, mas eu tenho prioridade, algum problema!?"

Não percebi a razão de ter prioridade, pois se o senhor tinha algum problema, não era visível!

Ninguém reclamou.  Se alguém tivesse dito alguma coisa eu teria de perguntar, porque há casos em que a pessoa prioritária tem de ter um documento.

Aqui há uns anos, quando perguntei a um senhor o porquê da prioridade, ele levantou a camisola e havia tubos no corpo dele, quase caio pro lado, (acho que já mencionei esta situação  no blogue) por isso tento sempre compreender, antes de perguntar!

Também gostaria de sugerir que o cliente prioritário dissesse, caso não seja visível, o motivo da sua prioridade ou então mostrasse algum documento, não pela operadora de caixa, mas por consideração aos outros clientes que estão há algum tempo na fila e merecem esse cuidado!

prioritate.jpg

Que menino tão querido

Depois de uma situação menos boa com uma cliente, eis que chega uma mãe com dois filhos um bebé de dois anos sentadinho e outro menino de seis anos.

Só posso dizer que já não me ria assim de gosto há algum tempo. O menino era um tagarela, mas era uma graça. Por vezes tinha dificuldade em acompanhar a sua conversa, mas ele repetia o que eu não percebia.

A mãe só o mandava calar, mas ele estava elétrico, se se calava por uns segundos, logo retomava a sua  narrativa. Contudo, foi sempre muito educado, só tinha muita energia acumulada, com certeza!

São também estas situações engraçadas e estas crianças que nos alegram o dia!

567890.jpg

Uma cliente sente-se mal...

wmaldisposta.jpg

Há uns meses, uma cliente, sentiu-se mal à minha frente. Ela até se  sentou na cadeira da operadora de caixa à minha frente que não estava ocupada.

Saí da minha caixa e fui lhe perguntar se ela sentia mal, vinham duas colegas a passar chame-ias aflita e preocupada. Ficaram logo com a senhora e pediram ajuda.

Conhecia a senhora  dali, via-a muitas vezes com a filha, sempre simpática, educada  e bem disposta.

Entretanto contactaram  a família, chamaram o INEM, mas já não assisti ao resto porque a levaram para dentro.

Durante algum tempo não vi nem a senhora, nem a filha, as minhas colegas também não.

Mas não me esqueci da senhora e andava ansiosa por notícias.

Até que há dias a vi na minha fila, e logo me veio um sorriso por a ver bem, que ela retribuiu. Até  lhe disse o quanto já me tinha lembrado dela. Lá me contou como foi, e nos agradeceu por termos sido atenciosas com ela. Da minha parte até nem fiz muito, porque estava a atender clientes, mas a senhora foi uma querida nas palavras que nos dedicou!

Confesso que foi uma grande satisfação a voltar a ver . Há tantos anos aqui, já há esta proximidade! É este lado humano da profissão que tanto gosto!

GostopeloTrabalho.jpg