Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A lupa de alguém

Sou operadora de caixa num supermercado Continente modelo. É esse universo que eu trato neste espaço...

A lupa de alguém

Sou operadora de caixa num supermercado Continente modelo. É esse universo que eu trato neste espaço...

Cenas e regras das caixas prioritárias

As caixas especiais têm determinados pontos que nem sempre são perceptíveis, e depois vem uma pessoa diz uma coisa, vem outra diz outra. Enfim, a tendência é imaginar regras. Aconteceu, que estando eu nesta caixa havia uns clientes (um casal) com um carrinho cheio e que pediram para repartir a conta em parcelas de 15€ de modo a descontarem os cupões da Galp que tinham consigo. Ora aquilo demorou, demorou e demorou. Na fila estava um senhor, de fato e gravata (até pensei se seria alguém com experiencia no ramo ou do ramo), que me disse, que aquela operação não devia ser feita numa caixa prioritária. Explicou uma serie de pontos que até fazem sentido, mas será que eu devo dizer aos clientes com carrinhos cheios, e com cupões da Galp para não irem à caixa prioritária? Acho que não posso, mas talvez um dia tente...assim devagarinho, para os clientes não se zangarem. A atitude poderia partir dos próprios! Havendo mais caixas, disponíveis, claro!

Facturas na caixa prioritária

 

Há um longo tempo atrás eu queixava-me da caixa das dez unidades, que hoje em dia, já não existe no "meu" continente. Continua a haver é a caixa prioritária, mas dessa não me queixo, pois enquanto na das dez unidades eu dizia ao cliente para ele se dirigir a outra caixa, nesta chamo-o e digo-lhe pode vir ali. Estão a ver a diferença? É bem mais fácil assim.

 

Hoje eu estava na caixa prioritária e passei  facturas a uma cliente. Entretanto, a cliente que estava a seguir, quando esta útima se afastou, disse-me: "você não sabe que não se passam facturas nas caixas prioritárias?" E eu imediatamente respondi: " então passam-se onde?" Ao que ela responde (como se dissesse daah...) "no balcão de informação!" Respondi (com jeitinho, mas quase a explodir) dizendo que se calhar a senhora estava a fazer confusão com outro supermercado, porque ali sempre foi assim.

 

Mas que cena sem cabimento! Fico passada de não poder dar umas respostas mais à altura. Mas quem seria aquela criatura, para achar que sabe mais que eu das minhas tarefas!?

 

Tarja digital

 

 

A imagem não é muito nítida, mas eu explico: é uma tarja (nome técnico dado às etiquetas que estão com os preços dos artigos nas prateleiras). Só que esta tarja é digital. Neste supermercado (da concorrência) todos os preços estão assim, parecem pequenos relógios. Deve ser muito mais fácil quando é necessário fazer alterações. Que eu saiba ainda não existe no Continente...talvez um dia:)

Passatempo: resultados

Venho desde já agradecer a todos os participantes do passatempo: “ganhe um livro da autora”. Foram duas as participantes que acertaram em todas as perguntas, mas como eu pedi uma frase e uma delas fez uma quadra (e apesar da quadra estar espectacular) seria injusto para a outra participante, uma vez que pedi mesmo uma frase,  a vencedora é Tânia Simões. Parabéns! Deixo então as respostas correctas:

 

1- Perguntas:

a)No atendimento ao cliente, a primeira regra é “o cliente tem sempre razão”, qual é a segunda?

Caso o cliente esteja errado releia a primeira regra.

 

b)Qual é o subtítulo deste livro?

O universo de uma operadora de caixa

 

c)Qual o período de tempo que o livro abrange?

De 2008 a 2011

 

d)Qual a frase que serve de mote à autora?

 “Querida, vou ao supermercado chatear a operadora de caixa, queres que te traga alguma coisa?”

 

e)Em que livraria foi o lançamento do livro e em que data?

Livraria Leya na CE Buchholz dia 22 de Outubro de 2011

 

f) Qual o nome da Editora que editou o livro?

Fonte da palavra

 

Na segunda fase do passatempo, tinham de escrever uma frase com as palavras: operadora de caixa, cliente, supermercado e atendimento. Primeiro deixo a frase da vencedora e seguidamente, deixo outras dos outros participantes, porque gostei de todas:

 

- Um bom atendimento no supermercado passa pela simpatia e pelo respeito do cliente para com a operadora de caixa.

 

- Quando esta cliente voltar às compras ao supermercado vai desejar ter um atendimento da operadora de caixa como a Anabela o faz!

 

- Ser operadora de caixa num Supermercado é uma aventura diária, novos clientes, clientes de todos os dias, sorrisos, lágrimas, desabafos, mau feitio, aromas agradáveis e também odores desagradáveis, chefes porreiros ou chefes que não lembra ao diabo, mas sempre e sublinho sempre com Atendimento SONAE e um sorriso nos lábios.

 

- A Anabela é operadora de caixa, num supermercadoda Sonae, o atendimento ao cliente é um dos seus pontos fortes e é daqui que surgem todas as suas histórias que tem para nos contar!

 

- Passa o código, tira o alarme, a operadora de caixa sopra, o saco plástico não abre, o outro fica rasgado, o cliente bate o pé, está cheio o supermercado, uma senhora gorda está na fila e começa a empurrar, o cliente mais à frente resmunga porque está calor e a abafar, e acha-se o cliente sempre cheio de razão nem que seja mal-educado, ignorante ou um parvalhão e de entre uns e outros, acaba sempre por aparecer o risonho, atencioso, o que demonstra ter sentimento, o que faz esquecer certas torturas sofridas por quem faz o atendimento.

 

- Num supermercado algumas coisas não têm preço: a simpatia da operadora de caixa no atendimento ao cliente é uma delas.

 

- No supermercado, durante o atendimento, a razão da operadora de caixa é cedida temporariamente ao cliente.

 

- As aventuras e desventuras de uma operadora de caixa num supermercado: do atendimento ao babysitting do cliente!

 

- Trabalhar sem parar, num supermercado a abarrotar
Com o cliente a refilar e as filas a aumentar
O que vale é existir atendimento exemplar
e Operadoras de caixa sempre a bombar:)

Passatempo está a acabar

Olá! O passatempo está quase a acabar. Confesso que pensei que ia ter mais participantes, mas valeu pelos que participaram. Tenciono depois, aqui colocar as frases que fizeram, pois estou a gostar muito de delas. Em relação às perguntas, se calhar fi-las um pouco difíceis, pois ainda não encontrei uma pessoa com todas certas, há sempre uma incompleta, ou há uma que se calhar eu expressei-me mal. Enfim, mas escolherei a participação mais aproximada da correcta.

Mas ainda vão a tempo, participem!

 

Falta de educação

Eu assisto a cada falta de civismo. Na fila uma cliente tinha colocado os seus artigos todos no tapete, o tapete estava todo ocupado. Por isso a rapariga que estava a seguir segurava os seus artigos na mão. Mal avanço um pouco com o tapete e a cliente que estava atrás da dita rapariga atira com os seus artigos para cima do tapete, toca (para não dizer  empurra) na rapariga, deixando-a  a olhar para ela com ar de surpresa. É aí que a fulana se dá conta e puxa as coisas para a ponta.

Que gentinha mal educada!

Conclusão: numa situação de emergência vai valer tudo

Hoje o tema de conversa ainda era a promoção do PD, não só no meu trabalho, como também aqui pela blogosfera. Obrigada da minha parte ao SAPO pelo recorte!

 

 

A conclusão que tiro de tudo quanto ouvi da boca dos clientes que foram ao PD e passaram pela minha caixa, da internet e da TV, é que se um dia acontecer uma situação de emergência, de catástrofe ou de qualquer outro conflito (maior que aquele em que já estamos), as pessoas vão andar todas à pancada, vai valer tudo,  não vai haver civimo e isso é assustador!