Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A lupa de alguém

Sou operadora de caixa num supermercado Continente modelo. É esse universo que eu trato neste espaço...

A lupa de alguém

Sou operadora de caixa num supermercado Continente modelo. É esse universo que eu trato neste espaço...

O andar do coxo!

Um cliente deixa a sua canadiana em cima da parte de lá do tapete enquanto ensaca e arruma os produtos. Concluído o processo vai embora. É aí que eu vejo aquele objecto e começo a chamar o Sr.: " Olhe faz favor! Ó senhor...Olhe!" Mas ele nada, e eu como não podia sair dali, subi o volume da minha voz, mas nada! Teve de lá ir uma cliente chamar o senhor!  Toda a gente a olhar para a cena e a rirem-se. Pois, tal como eu deveriam de estar a pensar, como é que alguém se pode esquecer de um acessório que supostamente faz tanta falta! Depois houve alguém a dizer, que apenas o chapéu de chuva tem justificação para ser esquecido !

 

E outro senhor a dizer: " estão a ver como é  que se apanha melhor  um mentiroso que um coxo?!" 

Eheheheh

Uma combinação perfeita: morangos e chocolate

Hoje registei alguns perfumes, bombons, peluches...enfim, dava para perceber que a data é especial . Mas houve dois artigos que registei inúmeras vezes e quase sempre os dois juntos. Esta combinação pareceu-me tão perfeita que não resisti em comprar também para provar!

 

 

Feliz dia dos namorados...

Momentos stressantes e animados

Hoje quando cheguei ao trabalho sentia-me animada e cheia de energia. No entanto, aconteceram algumas situações durante o turno, que teimavam em fazer o dia me correr mal. Situações como: ter de chamar apoio várias vezes; a impressora encravar; um cliente achar que a conta estava mal somada (eu disse 71 euros e ele entendeu 101, e foi um tal confusão de conversa); os vales de desconto não assumirem o desconto; bloquear a conta por ter passado artigos após o total, enfim...comecei a stressar.

 

Alguns clientes, até me diziam para me aclamar e  não stressar. Uns queridos e atenciosos! E não deixei que estes pormenores me estragassem o dia.

 

Entretanto, até houve  situações que me fizeram rir. Conto uma delas, que foi assim:

 

Um cliente já de alguma idade diz-me no momento em que registo um daqueles vinhos tintos que vem em caixa de de cinco litros, que o vinho é para a sua sua sogra. Eu começo a rir-me, porque pensei na idade que teria a sogra deste senhor, uma vez que ele próprio já não era novo. Ao que ele me responde: "Está rir-se!? É verdade! Ela tem 95 anos e bebe sempre um copo de tinto às refeições e está rija!"

 

E foi um momento animado!

poder-do-vinho-materia[1].jpg

 

O caso mais dificíl que já tive

Um dia desta semana, um cliente daqueles diários e bem dispostos, está à minha frente enquanto registos as suas compras e diz-me: " Você sabe o que aconteceu à minha mulher?" Quando ele me diz que ela morreu, e de uma morte tão estranha, pois não estava doente, eu fiquei sem reacção, sem palavras! Prosseguiu dizendo que era o aniversário dela, que tinha ido às urgências porque não se sentira bem e ficou a fazer aerossóis e que sem mais nem menos faleceu! O Sr. estava completamente perdido, triste e amargurado. Eu lembro-me bem da senhora pois há anos que os conheço ali do supermercado. Sempre tão amáveis. Ele concluiu dizendo : " já viu a prenda de aniversário que ela e eu recebemos? São mais de trinta anos de vida em comum...e agora isto?" Tive tanta pena do senhor, foi difícil conter-me, só me apetecia chorar...Foi mesmo a situação mais difícil que tive. Os clientes desabafam comigo algumas vezes, mas assim...Tanto desespero no rosto daquele homem! Espero que com o tempo, ele encontre novamente o equilíbrio...

 

Depois uma pessoa que estava na fila que também ficou comovida, perguntou-me quem era o senhor, e eu disse-lhe que não sabia, pois só o conhecia dali. Deve ter estranhado por a conversa ser tão pessoal, entre pessoas que apenas se conhecem de cliente para operadora de caixa.

 

É nestas alturas, que eu penso em como gostaria de ter um curso de psicologia.

Desabafos

Há uma serie de situações que acontecem quase todos os dias, e que me deixam exasperada:

 

- Estar a falar com um cliente , a dizer o total ou a despedir-me, e estar um fulano a chamar-me "ó menina!" para fazer uma pergunta. Será que não podia esperar um bocadinho? Não percebe que está a ser indelicado?

 

- No mesmo dia tive duas situações chatas por causa de clientes que querem marcar o código do multibanco, e já está um fulano atrás... tipo emplastro! Não conseguem dar um pouco de espaço e esperar a sua vez no devido lugar!?

 

- Quando digo a um cliente que a caixa já está fechada, aparece um outro que pergunta: " eu, são só duas coisitas, pode ser"? Não entende que fechado é fechado!? Se eu o atendesse, o outro cliente ia ter razões para ficar bem  furioso, ou não chega a pensar nisso!?

 

Pág. 2/2