Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A lupa de alguém

Sou operadora de caixa num supermercado Continente modelo. É esse universo que eu trato neste espaço...

A lupa de alguém

Sou operadora de caixa num supermercado Continente modelo. É esse universo que eu trato neste espaço...

Será necessário formação para embalar compras nos sacos?

Não sei se é impressão minha, mas cada vez noto mais que os clientes esperam que sejamos nós, as operadoras de caixa, a embalar as suas compras. Muitas das vezes mesmo sendo uma família de três pessoas ou um casal, ficam ali parados à espera que as compras vão parar aos sacos pelas minhas mãos.

 

Eu até gosto de embalar os artigos e até já faço isso inconscientemente, mas se os clientes ajudassem, este processo acontecia de forma mais rápida.

 

Esta semana uma cliente, disse-me algo do tipo: " vejo que teve formação para embalar as compras"! Ela disse isto, porque eu coloquei uma garrafa de vidro entre dois pacotes de cartão. Mas ninguém me deu formação para isto, acho que é uma coisa natural. Depois esta cliente criticou outros supermercados onde as operadoras misturam detergentes com comida e algo do género. Até guardei uma frase que ela me disse, e que foi mais ou menos assim: " é bom que sejam os funcionários do supermercado a embalar as nossas compras, já que pagamos bem esse serviço, não faz sentido sermos nós a embalar as próprias compras!" Esta mulher tinha realmente ar de ser "patroa" e de ter sempre alguém a servi-la, e de certo que é daquelas bem exigentes!

 

Morangos em promoção

Não sei se é para continuar, mas ontem e hoje os morangos estavam em promoção. Para além dos 0,99€ por embalagem de 500g, ainda dava 50% de desconto em cartão. Alguns clientes na caixa, antes de eu  registar a embalagem queriam confirmar se era mesmo assim a promoção. Sabem aquela frase: quando a esmola é demais o pobre desconfia? Pois houve alguém a preferi-la hoje...

 

Sentimentos dos clientes...

Por vezes dou por falta de certos clientes e penso: "já algum tempo que fulano ou fulana não aparecem, ou é por desencontro ou será que se passa alguma coisa!" Foi o que sucedeu com um simpático casal com quem já tenho alguma afinidade, mesmo não sabendo os seus nomes. Esse casal já levou fotografias da sua quinta para me mostrar. Neste dia, quando chegaram á minha caixa notei logo tristeza em seu olhar e reparo que estavam vestidos de preto e cinzento. Ocorreu-me logo perguntar o que se passava. Quando me começam a contar que haviam perdido uma filha, que faleceu sem estar doente, sem sequer estarem à espera. Apenas a filha teve uma dor no peito e aconteceu, coisas do coração disseram-me. Esta filha tinha dois filhos já maiores de idade, mas também tinha um menor.  Apesar de eu ter ficado chocada e quase sem palavras par lhes dizer, fui prosseguindo o meu trabalho registando as suas compras normalmente. Gostava de lhes ter dado mais atenção, fiquei com tanta pena!

Leitão embalado em vácuo

No meu trabalho passam-me imensos artigos pelas mãos. Por vezes há aqueles artigos que sujam, que deixam cheiro, aqueles que picam (os camarões), mas há um que me faz mesmo impressão passar: é o leitão embalado em vácuo. Parece um porquinho bebé vivo. Acho que o bichinho escusava de vir embalado de forma transparente.

 

E olhem que não sou a única a sentir isto! Já ouvi alguns clientes dizerem que preferem comprar em bocados já assados, porque verem aquela imagem lhes causa pena! Até tirei uma foto no outro dia ao dito cujo para exemplificar este meu post.

 

 

A madame e o bimbo

 

O que se passou foi que uma senhora toda "tia", já tinha imensos sacos cheios de artigos e não tinha levado carrinho. Como viu que estava lá um senhor com menos artigos ( já colocados no tapete), resolveu perguntar ao senhor se podia ficar com o carrinho dele, e ainda lhe disse para ele ir buscar outro. Eu quando ouvi isto pensei logo que ia haver barulho, pois  a cliente tinha um ar todo fino e o senhor tinha um ar de ( desculpem a expressão) bimbo! Bem e a resposta foi: " Hãm? Vá você buscar um! Olhem q'uisto, na faltava mais nada!" A cliente respondeu que pensava que ainda havia cavalheiros , mas que afinal estava enganada.

 

Realmente aquele senhor não foi nada cavalheiro, mas a mulher também teve uma certa lata, a pedir o carrinho, não acham?

Modernices

 

Um dia destes na fila, vejo um homem aparentemente a falar sozinho em voz bem alta e  gesticulando. Uma cliente que estava na fila  olhava para ele de modo como quem diz "deve ser parvinho"! O que se passava na realidade é que o homem estava ao telemovel, mas o telemovel não estava na sua mão e encostado ao ouvido. Apenas tinha um auricular muito discreto.

 

O progresso tem destas coisas, mas como ainda não estamos habituados, o primeiro pensamento que ocorre nesta situação é achar que a pessoa é maluquinha.