Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A lupa de alguém

Sou operadora de caixa num supermercado Continente modelo. É esse universo que eu trato neste espaço...

A lupa de alguém

Sou operadora de caixa num supermercado Continente modelo. É esse universo que eu trato neste espaço...

A vidinha do reformado

Estavam dois senhores já de alguma  idade, mas muito bem dispostos e divertidos na fila. Conheciam-se e lá iam conversando, até que um pergunta ao outro se ele ainda tinha o seu negocio, ao que o primeiro lhe responde: "Eu agora já estou na fase do Baltazar, de noite é para dormir, e de dia é para descansar"!

 

Lá está mais uma frase/rima, daquelas que eu apanho dos clientes, e colecciono aqui neste blogue. E para mim esta é nova, sempre a aprender alguma coisa!

fasedoreformado.jpg

E a mãe permitiu?

asgomas.jpg

Estou a atender uma senhora com o seu filhote de  cerca de três, quatro anos. Acho graça ao miúdo e meto conversa, só que ele tinha a boca cheia de gomas e não conseguia responder, reparo que também tem gomas na mão. E diz a mãe: "ah ele já foi roubar gomas!" E ri-se. Não eram gomas de um pacote, que tinha aberto e depois ia pagar, mas sim daquelas que se vendem em avulso, que as pessoas trazem num saquinho  e depois nós pesamos na caixa...

 

Será que custava muito esta jovem senhora, dizer ao menino que tinham de por as gomas no saco e dar na caixa para se pesar e pagar, porque não se rouba!?

 

Com a cara que eu fiz, julgo que a senhora entendeu o desagrado!

Em busca do nome do fruto desconhecido

Eis que na conta de um cliente, aparece um fruto, para mim desconhecido. Como somos nós que pesamos na caixa, perguntei ao cliente se me podia dizer o nome do fruto, para através do nome eu colocar o código do peso. O sr diz maraque roxo, procurei na lista e não aparecia lá esse nome, pergunto ao senhor se não será pitaya vermelha, por ser o um dos únicos frutos que lá estavam que eu desconhecia, mas o senhor insiste que é aquele o nome. Um senhor da fila diz que é um fruto tropical, mas que não se lembra do nome.

 

Peço para perguntarem na secção da fruta e a resposta é que era mesmo pitaya vermelha, e o senhor não parecia convencido. Então eu disse-lhe que se calhar, o fruto podia ter mais que um nome, e que em cada zona se chamava de uma maneira. Até dei o exemplo do figo da índia que também era chamado, em algumas zonas de figo de piteira (na minha terra até chamávamos figos de penca). É tipo cada terra com seu uso cada roca com seu fuso .

 

Como o caso me suscitou curiosidade fui ao Google pesquisar, e o nome de maraque roxo como fruto não existe, já a pitaya vermelha existe, e é exatamente o fruto que o senhor levava. Procurei a origem e dizia Argentina, Bolívia, Brasil e Paraguai.

 

Posto isto fiquei com curiosidade de provar o dito fruto! Parece ter bom aspeto, apesar de ter demasiadas sementes!

pitayavermelha.jpg

 

 

Onze anos de "Lupa" na blogosfera

lupa11anosapo11.jpg

Faço  um balanço dos 11 anos deste blogue, (e também da blogger)  iniciado em 2008, com o nome A lupa de alguém  e com pseudónimo de Caetana.

 

  • Logo de início tive alguns visitantes, comentários alguns positivos, outros nem tanto. Em dezembro de 2008 este blogue foi mencionado  no blogue Corta-fitas, e apesar de algumas criticas, deu-me alguma visibilidade.
  • Fui contactada por uma jornalista para dar uma entrevista para a rádio, aceitei com a condição de manter o anonimato, foi para a rádio clube em abril de 2009
  • O primeiro destaque do Sapo blogs foi cerca de um ano após o começo, e foi a partir daí que as visitas e comentários começaram a aumentar.  
  • Em julho de 2009, o "lupa" foi o blogue da semana no programa do saudoso Pedro Rolo Duarte na Antena1 .
  • Em outubro de 2011, este blogue dá em livro. O lançamento foi para mim uma enorme pilha de nervos, já que falar em público é para mim um drama, mas até correu bem . Passei a usar o meu nome (Anabela) e deixei o pseudónimo.
  • Depois seguiram-se muitas emoções entre entrevistas a jornais locais, revistas online, como a Livros & Leituras, rádios e idas à televisão. Jornal Mirante, rádio Cartaxo, rádio da Azambuja, rádio Íris. Ida à SIC programa "Boa Tarde", depois novamente à SIC no horário nobre no jornal da  noite.
  • No supermercado e na rua as pessoas reconheciam-se, felicitavam. Foi muito gratificante.
  • Em 2013 surge o segundo livro, cujo lançamento é só em fevereiro de 2014.
  • Uma surpresa para mim, foi uma imagem do engenheiro Paulo Azevedo, pessoa que admiro, com o meu livro.
  • Em fevereiro de 2014 fizeram uma reportagem comigo, para o programa  Você na TV, sobre os meus livros. A TVI esteve em minha casa.
  • Seguiram-se anos com  muitos posts, vistas, comentários.
  • Em 2017 entrevista para a revista Blogazine , onde fui colaboradora durante dois anos e que muito gosto me deu.
  • Em 2018 este blogue recebeu uma nomeação para os Blogs do Ano , que me deixou muito satisfeita e agradecida pelo reconhecimento.

 

Se me esqueci de mencionar alguma coisa ou alguém, peço desculpa.

 

Não tenho planos para este ano 2019, pois não é habito fazê-los, tudo tem surgido naturalmente. Agradeço a todos os que têm dado apoio, comentado e  criticado, até.  Agradeço igualmente aos clientes que passam pela "minha" caixa de supermercado, pois são vocês a minha maior fonte de inspiração! É graças  a todos vós que este blogue tem crescido.

 

Obrigada ao Sapo, por todo apoio, ajudas, destaques e até esta entrevista.

 

Bem hajam todos! Obrigada!

 

Mais uma situação de falta de civismo

Na caixa atrás da minha, estava a ser atendida uma senhora grávida. Vai daí, uma velhota que estava com a filha na fila , decide passar pro outro lado, onde ainda estava a tal senhora grávida, só que ao passar empurra a barriga da senhora grávida contra o balcão, e a senhora grávida, assustada, grita. Vai a filha da tal velhota diz: "cuidado mãe, a senhora está grávida"! Depois pede desculpa à senhora, e a própria grávida, pede também desculpa por ter gritado, e a filha da tal senhora, diz que compreende, sabe que foi o instinto de proteção!

 

Só me apeteceu dizer: "mas porque é que as pessoas não respeitam a fila? Porque raio a mulher tinha de ir pro outro lado se ainda não estava na vez dela!? Que falta de respeito! É preciso por ali um sinal sonoro a impedir que as pessoas passem pro outro lado, quando a outra pessoa ainda lá esta!? É que mesmo que a senhora não estivesse grávida, não tinha nada que a empurrar!"

 

Falta de civismo!

 

gravitta.jpg

 

 

Algum de vós é maior de idade!?

Nestes dias que antecedem a passagem de ano, é habitual, grupos de  jovens ou mesmo de  adultos irem fazer compras a meias para a passagem de ano. Compram essencialmente marisco e bebidas, mas também outras coisas.

 

Então há um grupo de jovens que leva imensas bebidas, entre as quais vodka. Mesmo não sendo entendida em bebidas alcoólicas, sei que esta é bastante forte. Então começo a olhar para os rapazes, e a pensar com o meus botões: " Estes rapazes, terão mais de 18 anos!? Bem, aqueles dois ali, já têm barba, mas parecem ser tão novos...O melhor é pedir identificação, eles devem saber que é procedimento habitual, e não vão levar a mal..."

 

Entretanto junta-se ao grupo dois adultos, e respirei aliviada! Passado isto fui pesquisar com que idade nasce a barba nos rapazes, e há várias hipóteses que variam entre os 15 e os 18 anos. Realmente fiquei surpreendida por ser possível aos 15. Então a barba já deixa assim de ser para mim, motivo para achar que o rapaz já é maior de idade!

 

E se fossem raparigas? Enfim, peço a identificação e pronto, se alguém se recusar, logo se vê! Eu não acerto muito em idades, tenho muito receio, são situações de muita responsabilidade!

 

mw-860[1].jpg

 

Ternura entre irmãos

Estou a atender uma jovem mãe com os seus dois filhotes: o mais velho devia ter cinco anos e o mais novo três.

 

O menino mais novo chorava, chorava, dizia "mas eu queria", e a mãe dizia, "este não é para ti, é para o Vicente". Era um jogo. Então, eu perguntei ao menino se o pai natal se tinha esquecido de deixar algum brinquedo, ao que a mãe respondeu: "tem a sala cheia de brinquedos novos, tantas coisas, e quer sempre mais alguma coisa"!

 

O choro do menino era tão alto que chamava a atenção das pessoas que estavam tanto na minha fila como nas filas próximas.

 

A mim, o que me comoveu, foi que enquanto o menino mais novo soluçava de choro, o mano mais velho fazia-lhe festinhas na cara, que ternura. Tão bom de ver!

brothers12.jpg

Imagem copiada da Internet