Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A lupa de alguém

Sou operadora de caixa num supermercado Continente modelo. É esse universo que eu trato neste espaço...

A lupa de alguém

Sou operadora de caixa num supermercado Continente modelo. É esse universo que eu trato neste espaço...

A operadora de caixa não adivinha os cupões que o cliente recebeu

22304198_fad7s.jpeg

Há clientes que perguntam: há cupões para agora?

Perguntam imensas vezes. E nós respondemos, eu pelo menos faço-o diversas vezes, que os cupões não são iguais para todos os clientes. Porque é mesmo assim, há clientes que recebem cupões consoante os artigos, há clientes que recebem 10% no total, outros €5 em compras de €20 ou até outros. Não sei qual o critério de quem faz os cupões, apenas sei, e muitos clientes também sabem, que é assim que funciona. Já funciona assim, há anos!

Cada cliente, tem de tomar conta dos seus cupões, dos seus descontos, das suas contas. É tudo uma questão de se organizarem.

A operadora de caixa não tem como adivinhar os cupões que receberam pelo correio ou na aplicação.

Ou então ao entrarem vejam no dispensador se têm cupões, ou mesmo no telemóvel, para quem tem a app do continente!

Imaginem uma cliente dizer" ó menina os cupões que lá tenho em casa, dão para esta semana" Resposta: "Mas eu  frequento a sua casa!? Como quer que eu saiba"!? Ou então: "Se a senhora não sabe o que tem em casa, como é que eu hei-de saber"!

Ou então a operadora de caixa pergunta se tem cupões e a resposta do cliente : "Ah, não sei, devia de ter?" Ora dá vontade de responder:  "Eu sei lá, você é que tem de saber. Pode não ter, pode já ter usado!"

Ou então faço a pergunta e a cliente desata a correr direito ao dispensador, deixando a fila parada!

A intenção da pergunta, é lembrar ao cliente, que se tiver cupões, pode entregar!

É que o continente tem tudo tão bem programado, ou seja, envia cupões pelo correio, tem um dispensador para imprimirem uma segunda via, tem a aplicação, ainda envia SMS. Será que cada pessoazinha não pode só fazer a sua parte!?

bjfdrety.jpg

 

Nova caderneta do continente - talheres

O continente tem uma nova caderneta, desta vez a coleção é de  talheres.

Cabe a nós divulgar a campanha, mas também há flyers, e cartazes espalhados pelo supermercado.

A maioria dos clientes gostaram da ideia e estão a fazer. Mas, surge sempre alguém que tem de deixar comentários negativos, do tipo "ah ainda se fosse panelas" ou "ah ainda me falta levantar uma faca", ou ainda "ah depois isso tem prazo nunca chego ao fim"! Respostas,  que bastaria responder um SIM ou um NÂO!

Faltava uns cêntimos a um cliente para fazer múltiplo de €20, já que o cliente recebe um selo,  por cada vinte euros, pergunto se quer juntar alguma coisa para levar mais um selo (porque é assim que funciona) e a pessoa responde: "não, não, você é que tem de me dar mais um, porque é assim que fazem em Lisboa!" Pois não dei, porque faltava dinheiro, pela arrogância e para a pessoa perceber que não é assim que funciona, disse-lhe "pois, mas aqui não é assim!"

22304199_aqhWm.jpeg

Estes acontecimentos trágicos do últimos anos

Uma cliente falava de todas as situações que tinham surgido nos últimos tempos e que nos tinham afectado de alguma forma, fosse em perda de liberdade, fosse em aumentos dos preços dos produtos, fosse pelo medo e pela negatividade que nos trouxe.

E em relação à pandemia, dizia ela, que no inicio, se dizia que seria para tornar as pessoas com hábitos melhores, mais higiénicas, mas civilizadas, mais solidárias. Mas que, parecia não ter feito esse efeito.

E ao ouvir isto, lembrei-me de uma história, que se terá passado mesmo antes de Cristo, que conheci não só pelas escrituras, mas também porque vi num filme épico, na Páscoa...

Para convencer o faraó a libertar o povo hebreu da escravidão, Deus enviou 10 pragas, as conhecidas 10 pragas do Egipto.

Agora estas novas pragas (as pragas do SEC. XXI) que estão a surgir, qual será o objetivo? Haverá algum? Ou é tudo acidental!? Pois não sei...281169557_4771918012913844_8351511511339732961_n.j

Não vem ninguém praqui!?

Uma cliente  começa a colocar os artigos  numa caixa sem operadora e começa a gritar: "Não vem ninguém praqui!?Não vem ninguém praqui!?" Ainda achei que tinha percebido mal e da minha caixa pergunto à senhora o que precisa e ela responde que não tem ali ninguém para a atender, ao que lhe respondo, que aquela caixa está fechada e que não tem lá ninguém!

Há dias em que só aparecem cromos!

oscromosdosupermercado.jpg

Dia da segurança e saúde no trabalho

Nem dois anos de pandemia, fizeram com que as pessoas mudassem de hábitos. Nem o facto de haver um acrílico à frente fez com que as pessoas percebessem que os artigos pesados e principalmente os pesados, são para colocar sobre o tapete.

Será que o cliente não entende, que para ele pode ser só uma caixa de cervejas, mas para a operadora de caixa, são dezenas ao longo do dia, e que o esforço que tem de fazer à coluna, pode provar alguma lesão!?

saudesegurotrabalho2022A.jpg

saudesegurotrabalho2022B.jpg

Resta-nos continuar a tentar, a arranjar formas de contornar estes e outros obstáculos, para continuarmos a poder trabalhar com saúde e segurança. Se estivermos saudáveis, seremos mais produtivos. Se estivermos bem, não precisaremos de baixas médicas!

Saúde para todos nós trabalhadores para que possamos continuar, a atender bem os clientes! E vós clientes, colaborem um pouco mais connosco, porque também será positivo para vocês!

Mulher a passear pelo corredor e a dizer que estava a fazer distanciamento

O  dia estava com alguns picos de clientela, e eu ainda não tinha feito a pausa que tinha direito. Entretanto, surgiu um momento, em que, estando a acabar uma cliente e não tendo outra, tive autorização para fechar a caixa e ir.

No entanto, surge uma senhora, vinda do corredor que tinha o carrinho lá encostado, e diz-me: "Então!? Não feche, eu estou aqui, tem de me atender! "

A outra senhora que estava a terminar diz-me : "Olha que lata, andava a ver as coisas nos corredores e agora diz que estava na fila"!Ao que esta responde: "Eu não estava no corredor, estava a fazer distanciamento!"  Ela percebeu o que eu ia fazer, mas esteve-se nas tintas para mim. Porque nós somos máquinas, não temos fome nem podemos ir à casa de banho!

E pronto, lá adiei a minha pausa para atender a doutora, que bem podia ter ido a a outra caixa!

Haja paciência!

pacienciainfinita.jpg

Vira o disco e toca o mesmo

Mais uma vez, a questão de pedir aos clientes para mostrarem os sacos vazios que trazem de casa e levam no fundo do carrinho ou até pendurados no mesmo.

Um casal, já tinha colocado todos os artigos sobre o tapete, eu já tinha passado mais de metade, quando o carrinho passa para o outro lado. Pedi para ver os sacos. Não perceberam a pergunta. Repito e aponto para o pedido por escrito onde menciona que os sacos têm de passar pelo tapete (claro que se as pessoas os mostrarem de livre vontade, nós não pedimos, tem é de dar para perceber se estão vazios). Olharam um para o outro e deram-me os sacos incluindo o térmico que estava com o peixe dentro. E disseram que com a pressa até se tinham esquecido.

Vi pela conta que levavam cerca de €60 em peixe, que certamente não pretendiam pagar! Eu é que ainda fiquei nervosa. E pedi porque peço sempre, e não por desconfiar! Não estava à espera! E podiam me ter enganado!

Quando saíram da caixa, o cliente que estava a seguir, tinha, sem eu dar conta, observado tudo e disse-me: "que espertos "! Pareceu-me bastante surpreendido e indignado com a situação.

Uns 10 minutos depois, chega uma senhora que fica toda ofendida porque lhe peço para ver o saco! Diz-me "estão com medo que as pessoas levem coisas sem pagar dentro dos sacos!" Então eu digo-lhe que ainda há minutos levavam €60 de peixe sem pagar. Explico-lhe a situação e a mulher responde: " Pois a miséria é tanta, e as coisas estão tão caras...", nem a deixei acabar disse-lhe logo que isso não era desculpa para roubar!

Isto não está fácil! Quase todos os dias há uma situação destas, de "brindes" dentro dos sacos!

HOME34567.jpg

O dia em que o uso obrigatório da máscara acabou

aquedadamascara.jpg

Como não tinha visto o noticiário na véspera, fui apanhada de surpresa. Mas, quando me disseram que podia não usar, hesitei. E tenho optado por ainda usar. Acho que ainda não me parece seguro. Preciso de mais uns dias. E a maioria das pessoas quer colegas, quer clientes ainda usa! Vamos ver no que isto dá!

No entanto, ainda bem, que tudo indica que é para acabar de vez com a máscara , em alguns lugares! É sinal que a situação está a melhorar!

Os aumentos dos produtos devido à guerra

As pessoas queixam-se dos aumentos. Realmente houve aumentos. Se o motivo "a guerra" é desculpa ou é real não sei, mas sei, que os aumentos são também para quem trabalha no supermercado. E desta forma, ter de ouvir "vocês aumentaram isto, vocês aumentaram aquilo", não é bom de ouvir.

Ultimamente, quando digo o total, há pessoas cujo dinheiro não chega e pedem para anular algum artigo, e isso  custa-me bastante.

Que esta questão se resolva logo, porque, pelo que tenho visto e ouvido dos clientes, já há pessoas a não conseguirem comprar os bens essenciais!

help.jpg

O ataque pirata

Como muitos de vocês devem saber, a Sonae sofreu um ataque informático (ou um ataque pirata) no dia 30. No supermercado, as operações relacionadas com o cartão cliente, não estavam a funcionar bem. Nesse dia, não estive a trabalhar, mas estive ontem e hoje e as coisas ainda não estavam a cem por cento. A maioria dos clientes, quando explicávamos a situação, entendiam. Mas houve um ou outro cliente que não compreenderam.

Tive ontem, um cliente que fartou-se de reclamar, não me surpreendeu porque esse senhor já é reclamista por natureza. A dizer que a culpa era das pessoas que não queriam trabalhar na agricultura e que por isso tinham de comprar os produtos da Ucrânia e da Rússia quando há campos parados no Alentejo. Mas falava alto, não saía de lá com os artigos e não me deixava atender quem estava a seguir. Isso deixou-me stressada!

Hoje, a aplicação ainda está indisponível, e ainda não conseguimos aceder ao contribuinte associado ao cartão, mas de resto, o dia já foi mais tranquilo.

Obrigada a todos os clientes que têm compreendido a situação e têm sido solidários connosco!

SquarePic_20220401_15433726.jpg