Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A lupa de alguém

Sou operadora de caixa num supermercado Continente modelo. É esse universo que eu trato neste espaço...

A lupa de alguém

Sou operadora de caixa num supermercado Continente modelo. É esse universo que eu trato neste espaço...

Grávida ou gordinha?

pontaria.jpg

Eu não tenho grande pontaria, para verificar se  uma pessoa está grávida ou não, se não for mesmo saliente. Na caixa de prioridade antiga, nós tínhamos de chamar as pessoas, e por vezes eu errava. Então eu deixei de chamar, só chamava mesmo quando se notava bem, e não tinha dúvidas.

Acho que já aqui relatei que uma vez chamei uma senhora que estava com a barriga empinada e as mãos à cintura, mas, errei. A senhora ficou ofendida e eu envergonhada. Pedi desculpa, mas fiquei a sentir-me tão mal.

Recentemente , vi uma outra senhora, e fiquei na dúvida se era gravidez. Olhei pelo canto do olho, disfarcei. Pensei "será que é!?"  Depois vi-a de frente, e pensei que afinal não era. Quando alguém disse que a pessoa estava grávida, para me desculpar disse que não tinha percebido, e   a grávida responde: "então pensava que isto era tudo gordura?"

Ora mais valia eu não ter dito nada!

Às vezes mais vale, esperar que seja o cliente prioritário a pedir/manifestar a prioridade, aliás, é o que está estipulado na lei!

leidaprioridade.jpg

Até porque, mesmo tendo o direito à prioridade, o cliente prioritário, pode não querer usufruir dela, por se sentir bem naquele momento. Por exemplo, uma cliente pode estar com um bebé, mas o  bebé estar tranquilo a dormir no carrinho, e a cliente não ver necessidade de estar a "roubar" o lugar a quem já lá está à mais tempo, e merece consideração/respeito!

Isso chama-se, ter bom senso!

Aquelas duas velhotas trapaceiras

caixa-de-supermercado.jpg

Por algumas vezes, quando   as atendia, julguei que eram mesmo duas velhotas um pouco despassaradas, alheadas!

 

Tinha de estar sempre a conferir os carrinhos, pois esqueciam-se sempre de alguma coisa. Não me parecia que fosse com intenção!

 

Mas a situação começou a se repetir tantas vezes, que comecei a ficar mais atenta!

 

Da ultima vez, uma delas levava um saco térmico tipo lancheira, e quando ela ia a passar eu vi algo vermelho lá dentro, nem percebi se era algum papel ou o que era e perguntei o que era aquela coisa vermelha. ao que a senhora me responde "são  uns gelados!"  Digo: "então mas tem de os por em cima do tapete para eu os registar"! E ela responde "ah era para não descongelarem"! Também levava peixe congelado, e esse, meteu-o em cima do tapete, por isso julgo que não foi distração, pareceu-me que a intenção era mesmo levar os gelados à borla!

 

Afinal, parece-me, que  nem todas as pessoas com mais idade, são completamente inocentes!

 

Os cinco R's para ajudar a diminuir os sacos de plástico

os5rsacoslupablog.jpg

Então vamos a eles, pela ordem, de importância, na minha perspetiva:

 

Recusar: Recuse o saco de plástico e use um ecológico!

 

Reduzir: Se ainda não os consegue   recusar, use apenas, o indispensável em plástico, use só UM  para os produtos do frio, já é um bom começo!

 

Resguardar: Para que depois de uma utilização  não vá logo para o lixo, tenha algum cuidado, para que não se rompa ou estrague. Pode dobrá-lo bem dobradinho, e guardá-lo na mala, ou no caso  dos senhores, no bolso das calças, no porta-luvas do carro!

 

Reutilizar: Já que o está a usar, use-o mais que uma vez! Use-o para outros fins. Por exemplo para levar a fruta que foi apanhar ao pomar.

 

Reciclar: E no fim de tudo, coloque-o no ecoponto correto, ou troque-o, e deixe que seja o estabelecimento onde o comprou, a fazer a reciclagem !

 

Um cliente brincalhão roubou-me a cadeira

Umas vezes estou sentada, outras estou de pé, tenho essa liberdade, e por isso vou alternando, consoante o movimento e a minha decisão!

 

Vai daí, um daqueles clientes brincalhões, tira-me a cadeira sem que eu dê conta! E depois eu ando a tactear sem olhar para trás à procura da cadeira e ele e os outros a rirem-se da minha pessoa!

cadeira.jpg

 

Se cada um fizer uma parte o ambiente pode ficar melhor

 Não sei se sou eu que ando mais atenta, ou se ultimamente se tem  falado muito do ambiente, do plástico, e do impacto ambiental que o mesmo tem sobre o planeta. Por incrível que pareça, é  o ecossistema marinho que mais sofre com os plásticos. Como é que vai parar tanto plástico ao mar!? E depois os animais marinhos confundem o plástico com comida, e isso causa-lhes a morte. Tão triste. Mas é assim!

 

Vi na televisão há poucos dias, uma reportagem, em que um mergulhador encontrou um saco de plástico no local mais profundo do oceano. O tal senhor desceu quase 11 mil metros na Fossa das Marianas, no oceano Pacifico. Certamente seria mais bonito se visse  bonitos corais e a vida encantadora marinha.

 

Estou diariamente num sítio, onde tenho de oferecer sacos aos clientes, e onde, muitas pessoas, já chegam à caixa com produtos dentro dos sacos da fruta, porque esses ainda são gratuitos. Por exemplo, trazem um saco da fruta com um sabonete lá dentro, outro com um pacote de cereais , o que era perfeitamente  evitável, já que os sabonetes já vêm revestidos com papel ou plástico, tal como os cereais já vêm numa caixa de cartão! Esses sacos da fruta além de serem para a fruta, servem,  por exemplo, par colocar um pacote de farinha ou de açúcar que se rebentou! Felizmente, parece que até esses sacos da fruta serão substituídos. Para mim, já estou à espera de uns da "Maria Reduz"!

 

Há muito exagero no uso do plástico, em embalagens, em utensílios, em sacos. Felizmente têm surgido algumas medidas, como o exemplo,  dos sacos passarem a ser pagos, de existirem ecopontos destinados à reciclagem, de mais programas de televisão sobre o ambiente, de manifestações, de mais informação, de passarem a existir mais locais para as beatas, e multas para quem  as deitar na rua, na via pública, no chão, na praia.  Até já existe um  um Eco-cinzeiro .

DbvHLHLW0AEUJN8[1].jpg

Eu estou aqui a escrever sobre o assunto, mas também cometo erros ambientais, mas estou mais consciente, e vou tentando corrigi-los!

Quando a operadora de caixa faz psicologia

euope.jpg

Por vezes há clientes que partilham comigo, situações pessoas, vivências, preocupações. Talvez me escolham, porque eu não sou dali, não tenho ali raízes, nem conheço o passado ou as histórias das pessoas e dos seus amigos e familiares.  Andei durante anos a desejar ser professora primária, e deveria era ter desejado ser psicóloga ou socióloga, já que uma está relacionada com o meio onde vive e convive e a outra se refere a cada individuo na sua singularidade.

 

Histórias de maridos que controlam as contas das esposas, historias de separações conflituosas, de doenças, situações tristes, de solidão,  de perdas dramáticas...

 

Um dia destes, estava pouco movimento e a cliente ficou lá um bom bocado a conversar, só pensei "esta vida dava um livro"!

 

Nós operadoras de caixa, acabamos por ser um pouco psicólogas, mas por vezes, perante a gravidade da situação que me contam, sinto que me falta aquela palavra certa para dar à pessoa, quem diz palavra diz conselho, mas pelo menos, julgo que sou boa ouvinte, e que consigo transmitir algum conforto.

 

Por vezes quem vê caras, não vê corações, é um cliché, mas adequa-se, porque só conhecendo a história de vida da pessoa conseguimos entender melhor as suas atitudes!

 

Daí que quando alguém tem uma atitude menos comum, já penso que alguma razão ela terá, para agir assim...

Dia internacional SEM SACOS de plástico

ambiente.jpg

O Dia Internacional Sem Sacos de  Plástico, apela à mudança de comportamento de todas as pessoas do mundo relativamente ao uso dos sacos de plásticos. O objetivo desta data é chamar atenção para o uso e produção abusiva dos sacos de plástico a nível mundial.

 

Os sacos de plástico são constituídos por resinas tóxicas oriundas do petróleo e levam cerca de 500 anos a decompor-se.

 

Grande parte desses sacos acabam no mar, e como os animais marinhos confundem o plástico com alimentos, eles acabam por morrer pela ingestão de plástico.

 

Como devem imaginar, no meu trabalho como operadora de caixa, tenho de oferecer sacos aos clientes, e muitas vezes fico triste com a quantidade de sacos plástico que as pessoas adquirem, para dali a nada, irem para ao lixo.

os5rsacoslupablog.jpg

Cada um de nós deve fazer um esforço para preservar o meio-ambiente, levando sempre os mesmos sacos de plástico para as compras, reciclando-os posteriormente, ou, melhor ainda,  utilizar  sacos de outro material, disponível no supermercado, como por exemplo,  papel, pano, serapilheira ou ráfia.

mudatudo.jpg

 

Atitudes egoístas na fila do supermercado

Além de ser sábado, também era fim de mês, talvez por isso, o supermercado estava cheio de gente, as caixas todas abertas, filas enormes.

superfila236.jpg

Uma cliente com o carrinho cheio encostado ao início do tapete está na fila ao telemóvel, e não coloca as compras no tapete. O tapete quase vazio, pessoas atrás desta senhora para atender, não avançam. Então ela vê um rapaz com poucos artigos, e diz para que ele passe, já que tem poucas coisas, e porque estava à espera de alguém. No entanto, já estou quase a acabar o atendimento ao rapaz e a senhora a GUARDAR o lugar na fila.  Chamo, a pessoa que tem o carrinho cheio para passar, e a  dita senhora olha-me com espanto! Atendo esta senhora e a mulher continua no mesmo lugar. Esta senhora, teve sorte em não apanhar daqueles clientes que perante esta situação, a iam mandar sair dali. A minha vontade também era essa!

 

Aquilo estava a enervar-me tanto, que a minha colega da caixa atrás da minha , pergunta-me se está tudo bem, mas eu não podia dizer o que se estava a passar.

 

Em voz bem alta, digo, "façam favor de passar". A cliente que coloca as compras diz que aquela senhora está a guardar o lugar, ao que eu respondo em voz alta "era só o que faltava, ficar aqui parada com pessoas na fila"! Cheguei a atender aí uns (6) seis clientes com carrinhos cheios, enquanto aquela senhora ali estava, colada ao tapete. As pessoas tinham de a contornar para chegar ao tapete.  Mas porque foi ela para fila, se tinha de esperar pelo marido, para avançar!? Cada vez entendo menos estas atitudes egoístas, esta falta de civismo. Quem é e ela pensa que é, para estar ali a impedir as outras pessoas, de serem atendidas!?

 

Lá chega o marido, começo a atender, no final, tinha um artigo da campanha da caderneta, e entrega-me a caderneta com 4 selos colados e os outros 21 ao monte. Eu digo "nós só aceitamos a caderneta com os selos colados!"  Então ela manda o marido colar os selos , ao que ele responde "que seca, eu é que tenho de colar estes selos todos"! A senhora faz o pagamento e eu atendo mais um carrinho cheio, enquanto colam os selos. Depois volto a eles para fazer o registo do produto com a caderneta!

 

É preciso muita paciência, paciência infinita, mesmo!

Um animador destes tem muito mais valor, do que preço!

animaregratis.jpg

Eu sou muito grata, aquelas pessoas, aqueles clientes, que quando estão na fila, conseguem animar os outros e até a operadora de caixa. Fazem quebrar a monotonia e arrancam-nos sorrisos e gargalhadas. Esses são muitos especiais.

 

Lá estava aquele cliente que me trata por a romancista, ainda por conta de ter escrito dois livros, há uns anitos.  Estava a ser atendido e disse apontado para outra cliente da fila, conhecida dele: "olhe que aquela senhora esteve a  roubar amendoins, leva os bolsos cheios, mas as cascas atirou-as pro chão, para não ocupar espaço!"

 

Acreditem que uma intervenção destas entre os "pips" da caixa registadora, e as repetidas  perguntas da praxe, ajuda a passar e a alegrar  os nossos dias!

 

Obrigada!