Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A lupa de alguém

Sou operadora de caixa num supermercado Continente modelo. É esse universo que eu trato neste espaço...

A lupa de alguém

Sou operadora de caixa num supermercado Continente modelo. É esse universo que eu trato neste espaço...

Faz hoje 2 anos que os sacos passaram a ser pagos

Faz hoje, dia 15 de fevereiro, dois anos, que os sacos de plástico no continente deixaram de ser oferecidos e passaram a ser pagos.

 

É certo que a mudança está a ser positiva, o consumo diminuiu. Muitas pessoas habituaram-se a trazer sacos de casa, não só sacos de plástico, mas principalmente sacos de outros materiais, mais ecológicos. No entanto, ainda existem muitas pessoas que não se importam de comprar sacos de  plástico todos os dias.

 

Mas também há quem tenha de comprar, só e apenas,  porque se esqueceu deles em casa ou até no automóvel. Há quem, já estando na caixa, pede para ir ao parque buscar os sacos que ficaram no carro. Outros ainda levam os artigos nas mãos e braços até à viatura. Noto também que a moda dos trolleys está de volta...

 

Enfim, apesar de ainda talvez haver um certo percurso a percorrer, estamos no bom caminho. Pelo menos a nível ambiental, penso que o balanço seja positivo. Nas ruas já não se observam tantos sacos vazios a voar...

 

sacos2anos.jpg

Cuidem bem dos vossos sacos

sacoroto.jpg

Os sacos  reciclados que temos são bons, mas têm de os saber usar. Não os encher demasiado, verificar se ainda estão bons. Quando um saco se rompe, há sempre a possibilidade de os artigos se danificarem, principalmente se as embalagens forem de vidro, se forem líquidos. Há sempre prejuízo, principiante para quem os está a usar, porque perdem o dinheiro que gastaram nos artigos e os próprios artigos.

 

Até os sacos precisam de alguns cuidados e  manutenção!

O melhor de 2015 para a operadora de caixa e não só

O dia 15 de fevereiro de 2015, ficou  marcado como o dia em que se iniciou uma nova era. A partir deste dia, os sacos de plástico deixaram de ser oferecidos, e passaram a ser pagos! A novidade não chegou só ao continente, mas também a outros estabelecimentos, a mudança não foi só para supermercados, como praticamente em todos ramos!

 

O bom desta medida, é a diminuição do uso dos sacos plástico, o que melhora o ambiente, faz com as pessoas tenham aprendido a organizar melhor os artigos dentro dos sacos, a serem mais cautelosos com o embalamento. Surgiram uma imensidão de sacos feitos de materiais reciclados, mais duráveis, de muitas cores e feitios.

 

Inicialmente os clientes esqueciam-se de trazer sacos, ou deixavam-nos no carro, hoje em dia, os clientes já estão mais habituados, mais consciencializados, mais preparados.

 

O que no início eu achava engraçado era o facto de as pessoas agora, até levarem as compras apinhadas nos braços. E muitas não o fazem só para não pagar os dez cêntimos, mas também porque querem mesmo, aprender a trazer sacos recicláveis, a mudarem de atitude, a reciclarem.

 

Sei que muitas pessoas custaram a aceitar esta medida, outras culpam os políticos, e dizem  que foi tudo  para o governo ganhar dinheiro. Também existem os que dizem que os sacos de plástico eram mais higiénicos.

 

Como operadora de caixa , confesso que gostei muito desta medida. Aliás, mesmo antes desta medida ter chegado  eu  já usava sacos ecológicos muitas vezes. Talvez, pelo fato de eu ter vivido uma temporada na década de 90 na Suíça,  onde esta prática era habitual e onde os sacos de plástico nem sequer existiam, nem gratuitos, nem a pagar. E a Suíça era (e é) um pais muito limpinho, sem lixo espalhado nas ruas, pode ser que esta medida leve Portugal   a aproximar-se um bocadinho deste país!

 

Espero  que, seja para continuar, e não para se voltar atrás nesta medida! Pode ser que um dia, os sacos plástico deixem mesmo de existir!

 

 

 

Regresso ao passado

Os clientes já começam a adaptar-se a este sistema de não haver sacos de plástico de oferta. Até parece que há uma moda para estes sacos. Existem tantos modelos e tão diversificados. Por vezes, os clientes, trazem sacos tão diferentes, alguns tão bonitos que não resisto em falar sobre eles e perguntar onde os compraram. Muitos deles foram marcas próprias que ofereceram aos clientes como bónus ou na compra de alguma coisa.

 

Mas um dia, uma senhora trazia uma cesta, uma cesta que me fez viajar no tempo e recordar, de quando tinha uma destas,  e ia à mercearia da minha localidade fazer as compras. Como não havia clientes, fiquei ali uns breves minutinhos, na conversa com esta cliente sobre estes tempos e sobre os anos que aquela cesta tinha.

cestantiga.jpg

Provavelmente esta cesta vai voltar a ser fabricada, talvez com alguma inovação. Que pena a minha cesta já não existir. Foi uma conversa bastante agradável!

Antes levavam 10 sacos para 1 artigo, agora levam 10 artigos num só saco

Tinha o tapete cheio de artigos para registar. Pergunto à cliente se quer sacos e se precisa de ajuda para ensacar.

 

Cliente: Até agradecia que me ensacasse tudo, pois tenho aqui um problema numa mão!

Eu:  Com certeza, e quantos sacos!?

Cliente: Basta um!

Percebi logo que um saco não chegaria nem para metade daquelas compras, mas respirei fundo e prossegui.

Cliente: Não me junte o detergente com as bolachas!

Eu: Então quer um saco para a comida e outro para os outros produtos!?

Cliente: Não, isso cabe tudo aí, tem é de ir separado!

Eu: Separado como!?

Cliente: Deixe estar que eu arrumo! - passou-lhe logo o problema da mão.

 

Foi colocando coisas e mais coisas no mesmo saco, eu vi o saco a rebentar e a ficar todo numa lástima. Aquilo ficou uma confusão. Quando percebeu que um saco não dava mesmo lá pediu outro e de novo colocou coisas e mais coisas. Nem sei se as coisas não caíram dos sacos, antes mesmo, de chegarem ao destino. Os sacos, tenho a certeza que ficaram estragados. Depois dizem que os sacos não prestam!

 

E queria ela que fosse eu sozinha a ensacar, para depois o saco estragar-se e eu ficar com as culpas. Aliás, pessoas assim, tão esquisitas, têm de ser as próprias a ensacar, só assim, as coisas fica ao seu jeito!

 

É que antes as pessoas levavam dez sacos para um artigo, agora levam dez artigos num só saco!

caixa-de-supermercado.jpg

Os sacos ficaram no carro

É habitual, os clientes só se lembrarem que deixaram os sacos no carro quando já estão na caixa e quando já estou lhes estou a registar os produtos. Quando saem do carro, e durante o tempo que andam nos corredores a escolher os artigos, e até quando estão já na fila, não se lembram disso. E depois lá vão ao parque buscar os sacos, dizem que vão num instante, mas depois o tapete fica cheio de produtos a granel, e não dá para colocar a conta em espera. Fica  uma grande confusão!

 

No inicio pensei que este procedimento seria só até as pessoas se habituarem  a trazer os sacos, mas quase seis meses depois, esta situação ainda acontece algumas vezes!

 

Mesmo que tudo isto demore apenas uns breves minutos, há sempre quem proteste!

 

Mas estamos no bom caminho para a habituação . Lá para o fim do ano, as pessoas já terão interiorizado este procedimentos e já levam os sacos sempre consigo!

carrosacos.jpg

Actualização: Post com destaque no sapo blogs.

O pós sacos de borla nos supermercados

compras.jpg

Desde que acabaram os sacos de borla, muitas situações têm acontecido. Basta mexerem na carteira das pessoas, se é que assim se pode dizer, para que aconteçam logo mudanças! Há de tudo um pouco; há os que levam os artigos nas mãos, mesmo quase a caírem para o chão, há os que já vão prevenidos de casa com sacos de pano ou de outro material , há os que levam todos os artigos dentro do carrinho e depois os despejam na mala do carro. Poucos são os que compram sacos de plástico, mas ainda, existem algumas  pessoas a terem esta opção.

 

Também houve uma outra mudança, se antes eram as operadoras de caixa que embalavam, ou ajudavam a embalar, grande parte dos artigos, agora são  os clientes, que o fazem. Por um lado é bom, porque assim, cada um pode arrumar as coisas à sua maneira, separar o que têm de separar, juntar o que acham que podem juntar, encher até onde querem encher. Aliás, em outros supermercados esta prática já existia. Por outro lado, podemos ter de esperar um bocadinho pelo cliente. Mas nunca aconteceu a espera ser muito longa por este motivo. E se a pessoa tiver dificuldade, nós também ajudamos!

 

No entanto, ontem aconteceu uma situação com uma cliente, que não gostei muito. Era uma cliente ainda nova, daquelas, perdoem-me a expressão, de nariz empinado! 

Eu : Saco, quer saco!?

Cliente: Quero saco e as coisas lá dentro!

 

Logo no inicio desta prática, um cliente trazia um saco de plástico de casa, já dos velhinhos (dos que antes eram oferecidos) e pediu-me para lá colocar uns artigos e o saco rompeu-se, e ele, muito zangado comigo, disse-me logo, que eu é que o tinha estragado e que agora lhe tinha de dar um novo!

Ainda sobre os sacos

Uma senhora coloca as suas compras sobre o tapete e passa com dois sacos do continente de baixo do braço. Eu apenas disse: "os saquinhos já trazia de casa de casa, certo" ( nem pedi para verificar o código de barras)!? A cliente respondeu: " não, tirei ali daquele monte"! Ao que eu respondo: " então pode me emprestar para eu registar que já lhe devolvo:"! É então que a senhora me responde: " Registar? Então, mas isto paga-se? Então levo só um"!