Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A lupa de alguém

Sou operadora de caixa num supermercado Continente modelo. É esse universo que eu trato neste espaço...

A lupa de alguém

Sou operadora de caixa num supermercado Continente modelo. É esse universo que eu trato neste espaço...

O dinheiro na minha mão, é como manteiga em focinho de cão

Uma cliente chega à minha caixa, a dizer: "Vinha só comprar duas coisas e levo tantas, nem trouxe carrinho"! Mas lá foi arrumando os seus artigos, e no meio de um suspiro, diz-me: "O dinheiro na minha mão, é como manteiga em focinho de cão"! Como já aqui disse, eu praticamente colecciono todas estas expressões e ditos dos clientes e este é mais um para a lista!

 

aqui.jpg

Já conheciam esta!? Alguém concorda ou se identifica!?

Expressões de outros tempos

Uma família está na minha caixa com as suas compras. Um casal com um filho. A senhora começa a perceber que são demasiadas coisas para carregar em braços e então pede ao filho para que ele vá buscar um carrinho, desta maneira:

 

- Vai lá buscar um carrinho a correr muito, até bater com os pés no c* !

corrermuito.jpg

 

Eu já tinha ouvido esta expressão, mas há muitos, muitos anos , atrás!

"Estamos na fraqueza da lua"

Estava a atender um casal, já com alguma idade. Surge o seguinte dialogo.

 

Senhor: Tanta coisa, dizias que vinhas só buscar duas ou três coisas...

 

Senhora : Pois, mas também são coisas que fazem falta!

 

Senhor: Sim, mas sabes bem, que estamos na fraqueza da lua!

 

Senhora: Pois é, tens toda a razão!

 

Foi nesse momento que eu interferi e perguntei o que significava a expressão, pois não conhecia, e eles, de forma simpática me disseram, que queria dizer que estavam á espera de receber o dinheiro para as compras, mas que agora, estava mau, estava fraco!

fraquezalunar.jpg

Decifrar certas expressões dos clientes

Há dias tive uma cliente, que suponho eu pela forma de falar deve ser de outra região, pois tinha um sotaque diferente, madeirense talvez. Ela disse que ia levar umas garrafas de vinhos, mas como levava muitas, perguntou se fazíamos, descobri  eu depois de uma breve troca de palavras, um desconto. Mas a expressão que usou foi: "Veja lá se me pode fazer o mínimo!"

 

Expressões brasileiras

Apesar de já estar habituada à linguagem brasileira, quer por ver novelas, quer por haver muitos brasileiros em Portugal, por vezes ainda me surpreendo!

Hoje um jovem rapaz fez uma despesa de 10,09€, e ele deu-me 15€, então eu perguntei se ele não tinha nenhuma moeda, ao que ele me respondeu, assim daquela forma engraçada de falar :" Ah não me mata, que eu não tenho, não!"

Brasil e Portugal[1].jpg

 

 

Em português correcto

Por vezes quando o separador do cliente seguinte não está a separar as compras eu pergunto: "é só?"ou "é tudo?" Uso inconscientemente uma destas expressões. Penso que as duas expressões são correctas, mas hoje uma cliente corrigiu-me e disse-me: diga antes "é tudo", o "é só" não soa bem! Ainda estou a pensar no caso, e não consigo perceber o que ela quis dizer...

 

Recordo-me de  há uns tempos ter surgido uma situação idêntica, com o "se faz favor" e o "por favor". Quando tive formação ensinaram-me a dizer ao cliente: " são cinco euros, por favor", entretanto uma colega minha que trabalha numa loja disse-me que na formação que ela teve ensinaram a dizer " cinco euros se faz favor".

 

Será que alguém me pode elucidar nestas duas* expressões? Qual a mais adequada no atendimento ao público?

 

 
*Ou melhor quatro expressões
 

 

 

Tanta coisa, até parece que vem aí a guerra!

Por vezes acontecem situações no hipermercado que parecem peças de teatro. Daí, eu às vezes usar a expressão, "no palco do supermercado"! Passo a contar o episódio em questão: um casal com dois carrinhos de compras está a colocar as mesmas sobre o tapete. Ainda estão no primeiro carrinho quando um senhor se aproxima, este senhor não se apercebe que são dois carrinhos e fica ali na fila. Quando o casal puxa o segundo carrinho, o tal senhor, diz o seguinte (literalmente):

 

" Isso é tudo vosso? Nunca mais daqui me despacho! Tanta coisa, até parece que vem aí a guerra"!