Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A lupa de alguém

Sou operadora de caixa num supermercado Continente modelo. É esse universo que eu trato neste espaço...

A lupa de alguém

Sou operadora de caixa num supermercado Continente modelo. É esse universo que eu trato neste espaço...

Sem palavras

caminhando[1].jpg

Chega à minha caixa, aquele cliente, sobre o qual já aqui falei muitas vezes, principalmente da sua constante boa disposição. Cumprimenta-me com um aperto de mão,  noto logo que algo se passa, pois ele não vinha com piadas e brincadeiras como é hábito. Pergunto se está tudo bem, ao que ele responde. "não, está tudo mal!". Então eu pergunto se é a esposa que está novamente doente e ele responde: "não,  doente ela não está, já está, é enterrada!" Neste momento, eu fiquei bloqueada, surpreendida, sem saber o que dizer, pois ainda há tempos os tinha vistos lá aos dois.

 

Foi aquela doença maldita, houve uma altura que a senhora esteve internada, mas depois já lá ia de novo com o marido, é lamentável, eles chegavam a ir lá quase diariamente, sempre juntos.

 

Fiquei triste, nós vamos nos afeiçoando ás pessoas...claro que depois sentimos a sua falta

O senhor "boa disposição!

O senhor "boa disposição" estava numa caixa muito à frente da minha, mas ainda assim chamou-me para me dizer uma das suas piadas.  Uma colega, comentava comigo que não entendia como é que eu tinha paciência para aquele homem, pois achava que ele "se mete com toda a gente, fala alto e que é um autêntico barraqueiro"! Eu respondia penas que o acho divertido! A minha colega tem razão nas características que lhe atribui, mas eu simpatizo com o senhor! Sempre foi educado e cordial comigo, muitas vezes faz-me rir! Nunca vi aquele senhor mal disposto, está sempre alegre, chega a ser contagiante. Mas enfim nem toda a gente gosta deste tipo de atitudes!