Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A lupa de alguém

Sou operadora de caixa num supermercado Continente modelo. É esse universo que eu trato neste espaço...

A lupa de alguém

Sou operadora de caixa num supermercado Continente modelo. É esse universo que eu trato neste espaço...

Os velhinhos por vezes são muito sabidos...

Para mim aquele casal de velhotes simpáticos nunca me levantariam suspeitas. Colocaram dois ou três artigos sobre o tapete depois deram-me uma garrafa de cerveja  marca cristal e disseram "são doze, menina!" Eu debrucei-me para confirmar o fundo do carrinho e não eram doze mas sim catorze e não eram todas de marca cristal (a mais barata) mas sim sete cristal e as outras sete sagres (mais cara). Não foi um acto inocente, pois as da marca mais cara estava por baixo e as outras por cima.
 
O  velhote tremia todo quando eu fiz o reparo e depois desculpou-se dizendo:" foi alguém que as tirou do sítio".
 
Já no dia anterior um outro casal de velhinhos simpáticos passaram com uma grade de (novamente) cervejas num daqueles carrinhos azuis que tem uma espécie de dois andares. Não reparei na grade ( estava no "andar"  de baixo) e eles também não disseram nada. O procedimento habitual quando se trás grades é dar à operadora uma garrafa, nós depois multiplicamos por 24 e registamos a grade, mas os velhinhos foram embora sem pagar a grade. A colega que estava atrás de mim é que me alertou. Quando chamamos o casal e dissemos que faltavam as cervejas a senhora respondeu: " hum eu vou lá pagar isso!"
 
Estes dois casos tiveram a coincidência na idade dos intervenientes e no artigo escolhido, e tudo se passou em menos de 24 horas, o que não deixa de ser curioso.
Por vezes as aparências iludem, lá diz o ditado e é bem verdade. De certo que estes dois casais são uma minoria, mas de qualquer forma vou ficar bem mais atenta!
 

6 comentários

Comentar post