Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A lupa de alguém

Sou operadora de caixa num supermercado Continente modelo. É esse universo que eu trato neste espaço...

A lupa de alguém

Sou operadora de caixa num supermercado Continente modelo. É esse universo que eu trato neste espaço...

Gravidez não é doença

genicagravidez.jpg

Estava a atender uma senhora que tinha duas contas. Ia começar a segunda conta da cliente quando chega, uma grávida com um carrinho, e pergunta se a posso atender agora, sim usou a palavra agora, como quem diz , "agora e já". Pergunto  à cliente que ia atender se ela não se importa que atenda aquela senhora. A cliente  diz que não se importa, porque julgou que a pessoa tinha só um artigo ou dois nem reparou no barrigão.

 

Quando deu conta que eram ainda alguns artigos, diz: "mas então ela tem tantas coisas"! E a grávida responde:"pois tenho , mas estou grávida!" E a senhora das duas contas "gravidez não é doença"!  E gerou-se ali uma pequena troca de palavras. E quando a grávida saiu, comentaram que ela estava cheia de genica, nem parecia precisar de ser atendida à frente.

 

É sempre complicado gerir estas situações, se eu atendesse primeiro a senhora das duas contas, uma vez que já a estava a atender, seria a grávida a ficar chateada, assim, ficou esta senhora.

Se é natural, porque não dizer...

imagemgay.jpg

Pergunto a um cliente, um rapaz aí dos seus 27 anos, se ele tem cartão continente, e este responde: "Não, o meu esposo é que tem"! Não fiquei chocada, porque é algo normal e natural nos tempos que correm, apenas fiquei surpreendida, porque não é assim tão normal este tipo de resposta.

 

Mas esta situação só mostra que as mentalidades estão a mudar...

Cartão continente associado ao número de contribuinte

Por diversas vezes os clientes perguntavam o porquê de o número de contribuinte não estar associado ao cartão continente, como acontecia na farmácia, ou mesmo em outro supermercado da concorrência, pois bem, agora no continente também o pode fazer. Assim, uma vez associado, basta só dizer que quer a factura com contribuinte, e não é preciso dizer o número, ou mostrar o cartão, porque fica no sistema. No entanto, se alguma vez,  não quiser naquele número mas em outro, é só comunicar ao operador.

 

contrbuintef.jpg

Clientes que levam os artigos sem sacos

 

semsacos.jpg

Há mais de dois anos que os sacos de plástico são pagos no continente. E depois de todo este tempo, muitas pessoas ainda não se habituaram, e mesmo não os querendo pagar, esquecem-se deles ou em casa ou no automóvel. Muitos clientes me confessam, que já têm uma vasta coleção de sacos em casa.

 

O que é curioso  é que muitas pessoas, resolvem levar as compras nas mãos, nos braços até ao parque de estacionamento. E quando são em grupo, repartem os artigos por cada elemento, incluindo as crianças.

 

Experimentem ficar á porta de saída do supermercado e vejam a quantidade de clientes que saem com os artigos sem qualquer saco, atitude que há dois anos atrás, seria impensável.

 

Mesmo que não o façam por uma questão ambiental, mas sim para não gastar dinheiro, creio que já é uma forma de diminuir o uso do plástico...

As pessoas têm direito a um atendimento com a devida privacidade

Continuo a presenciar situações de falta de civismo entre os clientes, principalmente no que diz respeito ao espaço. Ainda não terminei de atender um cliente e já o outro está a roçar neste. Chegam a dar com o carrinho nos calcanhares ou nas costas do outro; chegam a ficar a observar o outro a marcar o código do multibanco, chegam a ocupar o tapete com os seus sacos quando ainda está na vez do outro.

 

Talvez um dia andem à chapada, pois já faltou mais. Talvez depois se pensa numa solução, uma  marca no chão, sensores, cartazes, advertências na rádio do continente...

O sexo do dinheiro

Como já aqui disse, tenho o hábito de colecionar provérbios, expressões e ditos dos clientes. Um destes dias falava do dinheiro e da falta dele com uma cliente, e até usei uma expressão que aprendi há uns tempos. E a cliente diz que a sua mãe tem uma outra teoria que é " O dinheiro na casa de certas pessoas é fêmea, mas na minha é macho" -  porque não se reproduz ou multiplica, não faz filhos, não dá frutos!

 

burburinhoscliente.jpg

 

Achei muito curiosa esta teoria!