Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A lupa de alguém

Sou operadora de caixa num supermercado Continente modelo. É esse universo que eu trato neste espaço...

A lupa de alguém

Sou operadora de caixa num supermercado Continente modelo. É esse universo que eu trato neste espaço...

Quando o cliente cantarola...

Como sabem o continente tem rádio, que normalmente passa música. E depois há aqueles clientes que resolvem trautear a música que está a dar. Alguns até conseguem, mas há outros que só a estragam,  e existem ainda,  aqueles que a cantarolam, mas  em som hummmm hummmm. Nesses momentos, só queria ter proteção para os ouvidos!

imagem001.jpg

Ficar a fazer sala

A cliente que acabei de atender em vez de retirar os seus sacos de cima do tapete e ir à vidinha dela, fica encostada a conversar com uma amiga, que por lá passou.

 

A cliente que começo a atender não tem espaço para colocar as suas coisas e a pessoa que a acompanha diz: "Espera a senhora tirar as coisas". Ao que esta responde: " Esperar!? Então mas isto aqui, não é para ficar a fazer sala!"

 

Mesmo assim, a outra  senhora, ou porque não ouviu, ou porque não se deu conta, ou até mesmo porque lhe apeteceu, ainda demorou um bocado para retirar as suas coisas...

 

fazersala.jpg

Quem lê o verso dos cupões?

cupoescontinente.JPG

A maioria das pessoas nem  a parte da frente lê por inteiro, quanto mais o verso. Mas devíamos de ler ambas as partes.

novascupoes copy.jpg

Ao ler o verso deste cupão, principalmente o terceiro paragrafo, ficariam a saber por exemplo, que nos cupões, agora há artigos que não contam para a acumulação de saldo, como por exemplo, gás de garrafa e livros.

 

Já alguém se tinha dado conta deste paragrafo!?

Aí não se mexe

Uma senhora ao chegar à caixa, empurra as compras do outro cliente, para arranjar espaço para as suas coisas. O cliente diz "não mexe nas minhas coisas": A senhora, inocentemente talvez, volta a mexer nas coisas do senhor para dizer "não estava a mexe estava só a chegar para ali"!. O senhor já mesmo zangado, volta a avisar a senhora, e diz-lhe que é uma questão de educação.

 

Eu apresso-me a registar as coisas do senhor, para evitar que mais alguém mexa nos seus artigos, pois o senhor, já estava quase a explodir!

 

1[1].jpg

Por vezes as pessoas discutem por coisas tão sem importância. Claro que cada um tem o seu ponto de vista, mas neste caso nem foi grave o suficiente, para haver discussão, acho que é muito mais grave, quando um cliente está a marcar o código do multibanco sem a devida privacidade!

 

Um pouco mais de tolerância...

 

Decidam-se

Acontece muitas vezes os clientes estarem na caixa e não se decidirem, se querem fatura, se querem sacos, se querem descontar do cartão, se têm cupões....

 

Era tão bom se não tivessem tantas hesitações e tivessem mais certezas. Ainda há pouco tempo fiz uma destas perguntas , o cliente não respondeu, repeti a pergunta e  o cliente respondeu "estou a pensar". e pensou, pensou...e a fila à espera!

 

E por vezes, depois da decisão tomada, ainda mudam de ideias e querem voltar atrás...

decidir.jpg

Datas e prazos - Lembrete

koposcaderneta002.jpg

Tenham atenção , se estiverem a fazer a caderneta dos copos, pois damos selos só até dia 19 de março! Depois até dia 2 de abril ainda pode levantar os copos, mas já não haverá selos.

coposcontinenteselos2.JPG

Uma cliente um dia destes, pediu para ficar mais um tempo na fila, mesmo do lado de fora,  a ver se algum cliente rejeitava os selos para ela ficar com eles. Que acham da ideia!?

Sem razão pra tanta reclamação

grumpycliente.jpg

Era dia 10 eu sabia que ia ser um cheio com muitos velhotes, como de costume nestes dias.

 

Não contava era que a primeira cliente, não fosse uma velhota, mas sim uma senhora que está sempre com criticas, com reclamações, parece sempre mal disposta. Não sei da vida da senhora, nem se aquela disposição é por algum motivo. Pois até eu não estava no meu melhor dia, pois o meu filho estava adoentado, mas tento sempre que nada reflita no meu trabalho. Mas aquela senhora não é um dia, é habitual.

 

Então,  para começar ela veio logo pra caixa sem respeitar a ordem de fila, teve sorte que um velhote não se importou. Mas, a seguir  deixou lá as coisas e foi ao carro buscar os sacos, Depois quando digo o valor diz-me que o dinheiro não chega e tenho de descontar. Pergunto "descontar como"? Responde: "ora se eu lhe disse que a carteira ficou lá em cima ( não faço ideia a que - lá em cima -  se referia), e não tenho dinheiro, tem de descontar nas coisas"! Então começa a tirar coisas de dentro do saco e a entregar-me. Supostamente seriam as coisas para eu anular, e começo a anular. Vai daí, que as coisas que me estava a dar, eram as que queria levar. Começa a ralhar comigo, a dizer que estou com pressa e que não a estou a entender e ameaça fazer reclamação no livro amarelo.

 

Depois pedia para anular uma coisa para colocar outra, uma confusão. Eu estava a passar-me e foi o velhote  que estava na fila que foi de uma amabilidade e gentileza comigo, tentado  apaziguar e chamar à razão a mulher. Quando a senhora saiu, muitas pessoas da fila preocupadas comigo, a dizerem que nós, temos de aguentar muito, ali.

 

A senhora saí começo a atender o velhote, e já estou noutra pessoa, quando aquela senhora volta à minha caixa, porque lhe faltava uma coisa que estava registada e não levava. Pelos vistos aconteceu, mas também a confusão que ela armou...Imagino que saiu de lá ainda mais convencida da sua razão e da minha incompetência!

A ida de um velhote ao supermercado

velhotesupermercado.jpg

Estava a atender um velhote, já muito debilitado fisicamente, que me diz logo à partida que só tem 7 euros, e que se passar do valor deixa ficar as bananas. Havia mais pessoas na fila, que pareciam também estar a torcer para que o dinheiro chegasse. O velhote levava bens essenciais, tipo leite, pão, legumes, fruta.

 

Quando digo o valor, que pouco passava dos cinco euros, o velhote responde em tom de suspiro: "ah, graças a Deus"! Eu digo: "ainda sobrou para um cafezinho", ao que ele responde, que já não bebe café.

 

Depois pede se alguém lhe pode levar o saco ao carro. Ficamos assim a saber que aquele velhote ainda conduz. E isso é preocupante, e até perigoso, pois o sr até pode ser cuidadoso e conduzir devagar, mas falta-lhe talvez sentido de orientação, e perspicácia para alguma situação inesperada que possa acontecer na estrada. Mas enfim, se calhar, tem mesmo de o fazer, por não ter outra opção...

Ai que medo!

crianca[1].jpg

Hoje uma miudinha pequenina, mas cheia de pelo na venta, disse-me a franzir o sobrolho, e de mãos postas na cintura: " porque estás tu a mexer nas minhas coisas, hã!?"

 

Nunca tinha visto tanta pujança em tão tenra idade. A mãe lá lhe explicou que eu estava a registar as coisas e que não ia ficar com elas e obrigou-a a pedir desculpas, ela fê-lo, mesmo contrariada. Nesta idade chega a ser até engraçado, mas quando crescer, vai ser uma menina rezinga, ai isso vai!

 

Pág. 1/2